Páginas

sábado, 6 de julho de 2013

Um final de tempestade


Você tem sido aquela lágrima perdida dentro de mim. Você tem sido aquele amor tropeçado que se atrofia sorrateiramente em algum canto qualquer nos meus sonhos. Tem sido aquele figurante que passa de vez em quando para um olhar gélido e se vai... Nunca se sabe quando você vai voltar, quando as tuas palavras vão me acalmar ou trazer mais confusão. Independente do tipo de olhar, sempre me trouxe paz. Não é como se você desaparecesse... é como se você se tornasse um fantasma vagando por perto de mim. Como se eu não pudesse te tocar, mas você sim. Pudesse me acariciar enquanto eu durmo, pudesse secar algumas lágrimas sem que eu percebesse. Apenas passa... Como um eclipse que muda sua noite e acaba. O teu toque tem estado nas minhas memórias e a tua voz no meu coração.
 Eu acho que todo mundo tem aquele amor que não acaba... e não começa. Tão surreal quanto uma ilusão. Aquele amor que vive com você esteja com quem estiver. No entardecer é sempre com você que eu sento para contar como foi meu dia. Os meus sorrisos e tristezas sempre acabam com você, seja quem for o causador. Nós talvez nunca possamos nos deitar e nos abraçar finalmente juntos, talvez nós nunca nos toquemos de novo, talvez nós nunca possamos dar as mãos e em paz, descansar. Por que nós nos cruzamos e apenas isso.
 Pra sempre.
 Procuramos um pouco um do outro em cada pessoa que passa por nossas vidas, mas apenas os nossos olhares continuam sendo sinceros.
 Ainda espero pelo dia que aliviada, saberei que poderei ficar... Te ver e ficar. Sem vai e vem, sem se cruzar, ir e ficar.
 Pra sempre.
 Eu te carregarei comigo, por que nós estamos ligados por algo muito mais forte que tudo.... Você tem sido pra mim, um final de tempestade.

Beijos, D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário