Páginas

domingo, 10 de março de 2013

Bailarina de vidro


Desde pequena ela sempre quis explorar todo o mundo. Com '' todo o mundo'' podia ser apenas um lugar, um lugar. Sempre se sentiu como uma bailarina numa caixinha de musica, dançando para todos e olhando pela janela, sonhadora. Sonhando correr pela praia e cair na areia... senti-la em sua pele e deixar o vento escorrer pelo corpo. Uma bailarina que dança e dança tentando se expandir pro mundo, querendo que a musica de sua caixinha seja ouvida. Uma bailarina de vidro. Bem protegida, mas extremamente frágil. Uma bailarina que sonha simplesmente bailar por ai deixando a saia se esvoaçar e a arte do mundo a engolir. Dançar, dançar, dançar! Para todos e principalmente para si.
 Ela sonhava ser um espelho de sentimentos, queria que seus movimentos carregassem o exilir da paixão. Não bastava ser sufocada pela caixinha, seus sentimentos a atordoavam e ela dançava triste. A chuva escorria pela janela e ela dançava sem parar, tristemente, sonhando banhar-se em toda aquela água. A água deveria deslizar pelo seu corpo e a purificar de tudo, deveria se mesclar a ela como todo o resto do mundo.
 Ela queria dançar musicas diferentes, ela queria saltitar musicas felizes e se esvoaçar lastimosamente em musicas de receios.
 Ela queria sentir cada nota do piano ressaltando em seu coração! Ela queria ser a musica! Ela queria ser tudo! Queria dançar incessantemente até que o mundo lhe enchesse a alma e a inflasse.

Beijos, D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário