Páginas

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Uma despedida

 Era uma noite qualquer de verão... você me beijou nos lábios e me confortou como sempre fez. Disse que me amaria para sempre e jamais me deixaria sozinha. Eu adormeci nos teus braços com a certeza de que o veria acordar na manhã seguinte... e isso não aconteceu...
 Os dias passavam e eu olhava pela janela embaçada esperando pela seu retorno, esperando que você se lembrasse da doçura das minhas palavras e porventura vontasse aos meus braços. Isso também não aconteceu... Eu me tornei um livro velho e empoeirado numa estante antiga esperando para ser lido.  O tempo me fez escrava de mim mesma. Eu sonhava com aquela pele macia me envolvendo de novo, e aqueles olhos mel me observando. Me perdi em em outros lábios desejando apenas os teus beijos.
 A chuva antes doce e pura tornara-se fria e dolorida. As palavras se atroviaram dentro de mim e me engasgaram de tristeza. Meu gritos internos parecem ecoar dentro de mim a todo instante e não há adorno que me encante ou traga de volta aos meus olhos, o brilho que sempre foi dele.

Beijos, D.