Páginas

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Um laço


Um laço foi se deixar esquecer num coração carente. E assim se fez um grande segredo que ninguém jamais soube. Adormeceu como palavras borradas num papel antigo. A lua continuou surgindo e nos observando como sempre fez. Sempre que eu deslizava pela noite eu carregava você sem saber até que ponto tudo aquilo era verdade. Surgiu e se foi como um sonho passageiro, daqueles que você se arrepende de acordar. Desapareceu como se nunca tivesse acontecido, não haviam provas físicas, não havia nada que pudesse me mostrar o quão real foi. Aquela tarde chuvosa que você me carregou nos braços, aquela noite sufocante que você beijou-me a testa... tudo se esvaneceu com o tempo e apertou dentro de nós. A tua voz tem me preenchido mesmo que eu não soubesse. Eu me refugiei em outros braços e beijei outros lábios e no fundo, eram os teus que eu precisava, era no seu ombro que eu sonhava adormecer de novo. O teu rosto acompanhava todos os homens que passavam por mim, e neles eu procurava um pouco de você. Como você pode se perder tão fácil de mim? O destino nunca nos deu uma chance de nos beijarmos a não ser aqueles dias... eu os roubei do tempo e tenho os sufocado desde então. Longos dois anos de passaram, e você continua sendo o meu anjo.
  E apesar disto nunca ter existido, a nossa promessa se prossegue.. eu continuo amando você...

Beijos, D.