Páginas

domingo, 23 de outubro de 2011

Atrás de você

Eu lembro, dos seus olhos me procurando ao amanhecer... Eu me lembro, de como você dormia silenciosamente em quanto eu chorava na janela. Na verdade, eu nunca vou entender ao certo por que chorava. Nós vivíamos correndo pela guerra e ao final do dia, nós sempre sentávamos para ver o céu se pondo imaginando os anjos do céu.
Não entendo como aconteceu, mas você sumia atrás de mim. Não entendo como aconteceu, mas eu sumia atrás de você.
Andava pelas ruas pensando e tentando compreender por que você estava tão distante. Com suas memorias, com minhas angustias. Talvez você quisesse que eu entendesse, sozinha. Eu não te impedi de ir. Eu senti raiva. E você se foi. Por mim. Por você. Eu fui egoísta, eu condenei você.
Minhas palavras se quebraram na tua boca, eu morri tantas vezes até conseguir viver. Eu deitava no chão e me perguntava o que estava faltando. Eu tinha tudo o que precisava. Mas não precisava de tudo o que tinha. Eu precisava de tudo o que rejeitava na hora. Eu precisava de mim e você também precisava. Não daquela que me tornei precisando de você. Depois de muitos gritos e beijos, só restou o meu medo, e ele assombrou não só a mim. Eu só precisava aprender... Mas eu não tive tempo para isso. Alguns erros não podem ser corrigidos, basta saber, se o que sobra é o suficiente para os dois. No nosso caso não foi. Nunca foi. Eu te amava o suficiente pra partir, mas não o suficiente pra te deixar ir embora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário