Páginas

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Esperando pela resposta

Algo ainda preso em mim.
Lembranças tão remotas
Um mergulho repentino em meu passado
Uma dor que continua despercebida
Lágrimas, agora esquecidas
Gritos no meio da madrugada
Angustia retratada em mim
Você estava indo,
você estava indo para um lugar tão distante
você estava indo para um lugar perdido,
no meio de sua própria dor.
Se enterrando em suas próprias lágrimas
se condenando em suas próprias atitudes.
No meio da tempestade fria
Sua lastima permaneceu aqui
e meu coração se foi com você,
que desapareceu em meio da neblina
que desapareceu de meus olhos
e de minha vida.
Escondia minhas feridas
esperava todos os dias acordada
por uma resposta que não chegava
esperava todos os dias acordada
por seu amor que não voltava
acompanhada de uma dor que não partia.
Desonrada por todos os ancestrais
Fraca, esperando um sinal
Doente, esperando uma cura
assombrada, esperando seu toque.
Sob o leito de um mar de amor
coberta pelo céu estrelado
esperando por aquela lua
que nunca voltara.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário