Páginas

sábado, 16 de abril de 2011

Coração desalmado


Guardando todos os sentimentos
Mostrando minha face mais fria
Como uma alma vagando a luz do dia
Atravessando corações com sua pele ofuscada
Como um retrato distante
Lhe chamando, lhe envolvendo com sua névoa ardente
Sentindo sua pele fria, que grita por seu calor
Tentando vingar sua sede de amor
Vultos de sua essência
Todas as memorias jogadas pelo vento
que uiva em seus ouvidos,
e revela seus segredos
Seus olhos cinza-verdejantes pasmados,
Ouvindo o choro de sua amada.
Ouvindo sua dor e afogando-se em suas lágrimas.
Causador de tal agonia
Esfomeado de vingança
Com ódio de suas veias inuteis
Desprezando um amor do meio dos mundos
Salvando uma alma engolida pelo medo,
Livrando um corpo da terrivel escravidão.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário