Páginas

sábado, 2 de abril de 2011

As tardes de outono


É outono. Faz calor a tarde, faz frio a noite.
Há tarde, meu coração congela.
Há noite, meu coração queima.
Observo cada simples folha que cai.
Tudo que morre, tudo que nasce.

As pétalas que caiem.
As rosas que não florescem.
A apaixonante tarde de verão.
A acolhedora noite de inverno.

Lembranças que se encontram perdidas no tempo.
Nós nos encontramos perdidos no tempo.
É outono. Faz calor a tarde, faz frio a noite.
Há tarde, meu coração congela.
Há noite, meu coração queima.

Talvez você não fosse capaz
( De curar as feridas em seu coração)
Talvez nós não fossemos capazes
( De curar as feridas em meu coração)

Acumulando a dor
sob estas folhas secas
Acumulando a dor
sob mim

Observo cada simples folha que cai.
Tudo que morre, tudo que nasce.
A apaixonante tarde de verão.
A acolhedora noite de inverno.

Por que tudo parece tão frio agora?
As chuvas levam todas as mágoas
(Mas as leva de meu coração?)
Toda esta dor, esquecida,
Toda a beleza, esquecida.

Tudo morre um dia,
Tudo morre um dia.
Tudo nasce um dia,
Tudo nasce um dia.
É a vida...

Beijos D.

Um comentário:

  1. Perfeito! Sinto as 4 estações com ênfase no outono e uma grande colaboração de um coração em pedaços.

    Muito bonito mesmo. Parabens!

    ResponderExcluir