Páginas

segunda-feira, 28 de março de 2011

O fantasma da luz da lua


Uma dor irrevogavel, lágrimas continuas.
Uma perdição oculta presa dentro de você.
Lágrimas escondidas atrás de um rosto inexpressivo.
Um fantasma diante a multidão. Todos passam, mas ninguém sequer imagina o sacrifício que foi sair para a rua. Cada passo esforçado te levando para algum lugar qualquer. Qualquer lugar. Abaixo deste glorioso céu. Abaixo deste sol belo e grandioso no qual lhe consola. Se tornou um fantasma. Um fantasma com o coração feito por um monturo de mentiras. Um fantasma que vaga em esperanças de encontra-lo. Que se perde, tentando acha-lo. Vivendo a perfeita mentira na qual matou um coração gélido e o fez arder em chamas. Alimentando-se da própria dor. Se tornando mais fria e sumindo na luz do dia. Deitada sob um canto sombrio em beco qualquer. Encarando a lua e desfazendo nas lágrimas, que são tudo aquilo que carrega agora. Motivada por um único sentimento. Motivada por uma única palavra. Sozinha e calada, observando o sorriso de seu amado. Sorrindo e chorando. Cuidando daquele no qual lhe transformou nesta mentira. Naquele que roubou seu viver e lhe transformou neste corpo sem alma. E nesta alma sem corpo.
Um fantasma. Um fantasma que vaga pela luz da lua com um único propósito.
Invisível.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário