Páginas

domingo, 6 de março de 2011

Desistencia


Me doí ver sua desistência. Me doí ver seu olhar triste e abandonado. Oh, você pede socorro, mas não sei como lhe ajudar. Minhas palavras não são mais suficientes. A verdade lhe consome. Tem de haver um coração por baixo daquela armadura. Sei que é difícil, mas resista. Tudo lhe indica para continuar tentando, mas tentando se manter firme. Sabe que ele não está morrendo. Já está morto. E não a nada que possamos fazer. Todos lhe trazem sorrisos. Mas seu sorriso é frio. Seu sorriso não tem mais vida. E isso me entristece. Tudo grita ao seu redor, mas seus gritos não são escutados. Não por quem deveria escuta-los. Não desista. Não aguentaria saber que respiro um mundo no qual você chora.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário