Páginas

sábado, 26 de março de 2011

Assombrada por palavras e vozes uivantes



A tempestade cai,
os ventos uivam,
e meu sorriso se vai.
Todos os esforços em vão.
Meus olhos se fecham,
e me encontro em lamentação.
As dores se desfecham
Vaga na solidão.
Um sentimento que se preserva oculto.
Quando acabará esta escuridão?
Todos a caminho de um sepulto.
Presa a sua revolta.
Uma tristeza que perdura.
Todo este acumulo que sempre volta.
Mesmo que eu fuja, a tristeza me procura.
Indignando-se por minha insistência,
e eu morrendo por sua desistência.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário