Páginas

quinta-feira, 31 de março de 2011

Das madrugadas soturnas ao amanhecer


As madrugadas tem sido cada vez mais torturantes. O silencio grita cada vez mais alto. Um estranho vazio vem engolindo meu sono. Uma agonia. Me reviro a madrugada inteira. Olhando para a escuridão alheia, esperando o sono que não volta. Colocando para fora todo este acumulo. Aprendendo a conviver com minhas lágrimas. Só espero que esta dor termine. Só espero, quando amanhecer, eu não permanessa tão soturna. Preciso ser forte. Não quero causar feridas a você. Você é tudo o que eu tenho.

Beijos D.

Eu posso esperar


Eu posso esperar. Por aqueles que amo. Eu posso esperar. Por aquele que amo. Eu nunca ficarei completamente feliz sem você. Você nunca foi o que sempre achou. Eu te vejo diferente. Segredos jamais revelados jogados ao vento em um noite tenebrosa como aquela. Ainda há tempo. Tempo demais para que eu possa suportar. Todo o tempo que resta, carregarei você comigo. Sem você as coisas não fariam sentido. Você é tudo o que eu sempre vou desejar ter. Não há nada que faça eu me arrepender agora. O resto não me importa. Não vejo importância em nada. Pode demorar o tempo que for. Eu vou esperar. Eu amo você. E é o que mais importante para mim. Não importa o quanto você pode aparecer tarde, não importa o quanto as fronteiras impeçam, eu nunca vou ir embora. Tenho noção do tempo que pode demorar. E doí muito saber, que tão cedo eu não vou poder te ter. Eu quero que você seja feliz. Não posso lhe impedir de nada, apenas saiba, que eu carrego você no meu coração. Todas as minhas manhãs confusas. Todas as minhas noites de solidão, você está lá. Eu sinto.
Doí muito permanecer aqui sem você. Você é meu sonho. Você estava tão perto... As lembranças invadem minha mente, e as lágrimas começam a surgir. Você estava aqui. Você estava me abraçando. Eu nunca vou esquecer, de você. Mesmo que um dia, tudo isto acabe, eu nunca vou esquecer, do que você significou pra mim.

Beijos D.


Um imenso vazio. Um vazio que não passa. Não sei como recuperar. Não sei como me curar. Você parece tão perto, e ao mesmo tempo tão distante. Sua essência continua aqui. Você caminha comigo em meus pensamentos. Você caminha comigo em meu coração. Sua falta me doí. Me tornei sem vida. Sei que nunca poderei te tocar. Nunca me sentirei completamente feliz sem você. Sempre me sinto sozinha em meio a multidão. Todos passam, tudo passa. E eu continuo aqui. Nestas manhãs nubladas, sentada no mesmo lugar, com a mesma saudades, e com as lágrimas que tem me acompanhado durante toda a noite. Sempre vai faltar você. Vivo mascarada. Todos sabem de minha dor. Caminho com o silencio. Caminho com a dor. Cada passo, cada suspiro.
Este sol que queima minha pele, este sol que aquece minha pele gélida. Mas apenas a dor faz arder meu coração.
O tempo passa e nada muda. Os dias, as horas, os minutos, os segundos. Nada importa. Eu só preciso de você. Queria ao menos poder cuidar de você. Mesmo que não pudesse lhe tocar, eu só queria te olhar. Eu só queria poder ver seus olhos por alguns segundos. Minha vida não importa mais. Eu só preciso da certeza de seu sorriso.
Caminho. Caminho. Afinal, para onde caminho? Preciso de um lugar vazio. Um lugar que possa me acolher. Preciso de um refugio para repousar minha dor. Meus olhos ardem. Luto contra as pálpebras pesadas, não posso desistir. Tenho de permanecer viva. Por você.
Creio que nunca estivemos tão perdidos. Perdidos nesta imensidão. Em completa solidão. Apenas arrasto esta angustia pelo chão. Não se vá. Sei por que permanecesse em silencio. Sei por que seus olhos fogem.
O tempo que for. Eu continuarei aqui.

Beijos D.

terça-feira, 29 de março de 2011

Anjos decaindo na terra dos desalmados




Todos os anjos estão morrendo. Só sobrou a mim. Fragmentos de esperança. Aonde nos chegamos? Milhões de almas serão sacrificadas. Milhões de inocentes morrendo pela desgraça alheia. Começará uma nova guerra. A doença está se espalhando e não sei como impedir. Todos estão sem forças. Estou sozinha. Sozinha tentando lutar por tudo que acredito. Lutando por mim, por você e por todos aqueles que morrerão sem razão nesta batalha. Nosso exercito está sendo derrotado. Todos estão se adoentando e decaindo pela terra. Estão fracos para levantar. E não há ninguém que possa levantar todos eles. Temo perder as forças e não conseguir salvar quem amo. Salvar todos das almas perdidas que continuam vagando por nosso mundo. Há muita gente morrendo abaixo de seus olhos. A muita gente morrendo na escuridão da noite. Muitos anjos estão se revoltando. Muitas anjos estão partindo. Me doí ver que terei de lutar com aqueles que já estiveram em meu lado. Me doí saber que haverá muito sofrimento, e que não posso impedir esta batalha. Ela já está traçada. Anjos decaídos acabaram eliminados, antes mesmo de tentarem se salvar. Todos caiem mais depressa e não aprendem a voar novamente. Humanos puros resgatam os que podem. Anjos ainda firmes buscam da escuridão apenas aqueles que desejam voltar. Está praga está nos infectando. Quando isto irá acabar, o meu Deus, me diga.
A guerra não acabará tão cedo. A batalha está a caminho. Punidos injustamente. Quais são seus planos querido Deus?
A matança irá começar? Não teremos como nos defender?
Colocarão este mundo abaixo e não há nada que possamos fazer?
Almas demoníacas irão dominar todo o nosso espaço. Almas inocentes serão banidas?
Em breve tudo irá mudar. Só o que me resta, é voar. Só o que me resta é salvar as almas. Tentar ao máximo não perder as forças e lutar até que isto não seja mais possível. Até que eu esteja atirada no chão próxima da morte. Eu lutarei por todos os anjos. Até os mais fortes estão desistindo.
Vamos nos unir. Vamos orar. Precisamos de forças para aguentar.
Derramo lágrimas, sempre que um anjo morre. Seguro suas mãos e tento salva-los. Mas a dor imensa os faz desistir.
Me de a mão. Vamos lutar. O amor é mais forte que todo este ódio.
Vamos nos unir, e criar uma grande barreira de amor. Para que está praga, seja finalmente, detida.
Pois todos aqueles que não tiverem forças o suficiente, terão de ir embora.

Beijos D.

segunda-feira, 28 de março de 2011

O fantasma da luz da lua


Uma dor irrevogavel, lágrimas continuas.
Uma perdição oculta presa dentro de você.
Lágrimas escondidas atrás de um rosto inexpressivo.
Um fantasma diante a multidão. Todos passam, mas ninguém sequer imagina o sacrifício que foi sair para a rua. Cada passo esforçado te levando para algum lugar qualquer. Qualquer lugar. Abaixo deste glorioso céu. Abaixo deste sol belo e grandioso no qual lhe consola. Se tornou um fantasma. Um fantasma com o coração feito por um monturo de mentiras. Um fantasma que vaga em esperanças de encontra-lo. Que se perde, tentando acha-lo. Vivendo a perfeita mentira na qual matou um coração gélido e o fez arder em chamas. Alimentando-se da própria dor. Se tornando mais fria e sumindo na luz do dia. Deitada sob um canto sombrio em beco qualquer. Encarando a lua e desfazendo nas lágrimas, que são tudo aquilo que carrega agora. Motivada por um único sentimento. Motivada por uma única palavra. Sozinha e calada, observando o sorriso de seu amado. Sorrindo e chorando. Cuidando daquele no qual lhe transformou nesta mentira. Naquele que roubou seu viver e lhe transformou neste corpo sem alma. E nesta alma sem corpo.
Um fantasma. Um fantasma que vaga pela luz da lua com um único propósito.
Invisível.

Beijos D.

sábado, 26 de março de 2011

Para o resto de nossas vidas



Me perdi no meio de tantas rosas.
E ainda não entendo aonde estou.
Tudo parece tão deserto aqui.
Tantas almas suplicando.
Eu não sei como salva-las no meio de tudo isto.
Sem forças.
Sem forças para saber onde estou.
Sem forças para sair daqui.
Uma sensação insuportavel.
Querer levantar, e não conseguir.
Para o resto de nossas vidas.
Não reconheço a garota do espelho.
Estamos perdidos em nossas próprias palavras.
Estamos em um lugar vazio.
Vagando pelas estradas alheias.
Onde estará nossa salvação?
Nunca poderemos ficar juntos. E isto me consome.
O céu indignou-se conosco.
O que fizemos de errado?
Acúmulos presos dentro de mim.
Os gritos me calam.
Esperando pelo grande dia. Que mudará o resto de nossas vidas.
Esperando um dia, que haja um resto de nossas vidas.
O medo de ter medo.
Me segure para que eu não tema.
Temo por você.
Mostre-me que está seguro.
Não lhe odiaria se quisesse me odiar.
Apenas mostre-me que está seguro.
Estão nos caçando, fuja.
Então me caçando, fuja.
Fuja de mim se preciso.
Eu daria minha vida mortal por você, para que sua alma seja poupada.
Não me conte mentiras, mesmo que me poupe.
Me diga toda a verdade, mesmo que doa.
Por que seu rosto está tão abatido?
Vejo a dor em seus olhos.
Estou aqui. Estamos aqui.
Juntos.

Beijos D.
Fico sentada aqui apenas observando o mundo girar. Com os fones de ouvido e a alma aberta, reflito até que a noite caia. Minha mente está tão cheia de tudo, que chega a estar vazia. Observo no meio da escuridão a estrela mais brilhante do céu. Ainda não consigo discernir suas palavras. Não consigo entender o motivo de sua revolta. Suas desculpas não foram sinceras o suficiente. Oh, me diga por favor querido, o que mudou?
Minhas palavras não foram mentirosas. Se há algo que valorizo são minhas palavras. Elas não são vazias meu amor. Elas raramente mentem. Há sinceridade em cara uma delas. As carrego comigo e as jogo ao vento quando necessarias. Eu trago sentimentos nelas. Eu não estava mentindo. Acredite em mim, sabe que não mentiria para você. Oh, me diga por favor querido, o que mudou?
Eu não digo que lhe amo só para que não vá embora. Este sentimento é real. Eu quero que você sorria, quero que seja feliz. Eu sempre vou estar com você, lhe protegendo. Ao menos que não queira. Você se tornou meu vicio e continuarei aqui pra você. Se enganas quando diz que não a salvação. Oh, me diga por favor querido, o que mudou?

Beijos D.

Assombrada por palavras e vozes uivantes



A tempestade cai,
os ventos uivam,
e meu sorriso se vai.
Todos os esforços em vão.
Meus olhos se fecham,
e me encontro em lamentação.
As dores se desfecham
Vaga na solidão.
Um sentimento que se preserva oculto.
Quando acabará esta escuridão?
Todos a caminho de um sepulto.
Presa a sua revolta.
Uma tristeza que perdura.
Todo este acumulo que sempre volta.
Mesmo que eu fuja, a tristeza me procura.
Indignando-se por minha insistência,
e eu morrendo por sua desistência.

Beijos D.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Nublado



Sua sacerdote.
Purificado sob minhas lágrimas.
Guardado sob o leito de meu coração.
Encontrado vendado perdido na nevoa ofuscante.
Agora o seu parece tão límpido. Suas palavras foram ouvidas.
Floresceu com a pureza e beleza de um lírio.
Tentei ninar a sombra em você.
Lhe livrei da maldição noturna que ocoria em seus pesadelos.
A dor que lhe oprimia, se foi.
Desejando, que isto perdure.
O silencio que mantinha, lhe tornava frio.
Você me apresentou o lado oculto de sua alma.
Derramei lágrimas por seu ego ríspido.
O toque suave. Em quanto apalpava meus cabelos.
Deixando uma luz fosca, na qual não precisa mais.
Permaneci aqui por muitas noites.
Pareceu apenas um pernoltar.
As lembranças fluim cada vez mais remotas.
Após anos prevendo tudo,
nunca imaginei que me surpreenderia.
Analisando sempre o lado intocavel.
Andava sem rumo, a procura de viajantes perdidos;
Até que encontrei você, em uma nuvem sonhadora.
Até que lhe resgatei em um longo dia de tempestade.
A grandiosa chuva anunciava sua desistencia.
Eu lhe salvei.
Agora, não precisa mais de mim.
Me tornei sem importancia.
E é agora, que me encontro absolutamente sem rumo algum.
O céu se fechou para mim.

Beijos D.

segunda-feira, 21 de março de 2011

O que restou desta mentira

A solidão invadi suas noites
Apenas observo sem poder fazer nada
Seu silencio me supreendeu
Sua dor alcançou meu coração e o apunha-lou

Entre seus passos desaijeitados
estava escondida uma grande lamentação.
Seu coração sangra, você guarda uma perfuração profunda.
Entre seu silencio amargo pude ver atráves de sua alma um sorriso falso.

Respiro sua frieza. Suas lembraças.
O seu passado vem a tona toda vez que uma lágrima se derrama.
Não reconheço mais seu olhar. Você se tornou tão soturna.
Esta é a morte de um amor alimentado por esperanças.

Começou em um ponto de frieza.
Uma mentira.
E terminou em um ponto de frieza.
Uma verdade.

Caminhando rumo a própria morte.
Seria melhor assim?
Você se apresionou na ilusão que criou.
E quando ela acabou, se aprisionou em seu pesadelo mais tenebroso.

O sol acabara de nascer.
Suas lágrimas cintilantes espalhavam-se pelo caminho.
Deixando fragmentos de sonhos.
Sonhos despedaçados.

E quando seus sonhos foram arrancados, levaram meu sorriso junto.

Beijos D.

domingo, 20 de março de 2011

Irrevogável


Eu invejo os sorrisos alheios.
Me aprisionei nesta armadura, e agora minhas lágrimas se acumulam por dentro e me afogam.
Me afogo dentro de mim em meio em minhas próprias palavras.
Me encontro em um deserto vazio, um ponto de perdição
A minha perdição.

Como posso me sentir tão vazia?
Em quanto expulso este monturo de dentro de mim.
Sinto minha garganta queimando, toda vez que tento chamar um guia.
Sinto minha tristeza se desperdiçando
Sem forças para me levantar em quanto o solo frio me consola

Cansada de toda a apologia
Estas lágrimas estão nos penetrando, esta lastima está nos matando.
Carrego o peso de todas as suas dores. De todas as suas almas.
E agora, já não consigo mais voar. Eu falhei.

Eu invejo os sorrisos alheios.
Me aprisionei nesta armadura, e agora minhas lágrimas se acumulam por dentro e me afogam.
Me afogo dentro de mim em meio em minhas próprias palavras.
Me encontro em um deserto vazio, um ponto de perdição
A minha perdição.

Em quanto procuro um coração consolador na desgraça,
todos morrem sem que eu perceba. E eu deploro sob seus corpos desalmados.
Preciso encontrar a força dentro de mim.
A ausência de tudo que se foi deixou um vazio. A ausência de alguém que sequer existiu.
Dentro de um impasse.

Uma luz angelical parece me chamar. De um ar sublime.
Ainda tento me levantar. Vivendo de fragmentos.
Algo que não posso ver. Algo que posso deixar de sentir.
O que mais há aqui? As nuvens parecem tão surreais.
Os sonhos parecem tão toscos.

Este não é o verdadeiro inferno?
Quando sairemos daqui?

Beijos D.

sábado, 12 de março de 2011

Fragmentos de amor


Você laureou minha vida. Você a adornou de amor. Juntou os fragmentos de meu coração que já estavam se perdendo sob o chão. Veio sanar minhas feridas. Mas e agora que você está quase soterrado em seu sepulcro? Meu salvador está morrendo, e preciso impedir isto. Confie no meu sublime amor. Permaneça vivo por mim. Permanecerei viva por você. Suas palavras curam todas as minhas dores. Não jogue sua vida em um monturo. Estará jogando meu coração junto. Estaria desperdiçando a si mesmo irrevogavelmente. Não estou mais soturna como costumava ser. Me encontrei dentro de mim mesma. Porém, meu sorriso depende do seu. Seu olhar visto como angelical me revive. Me livrei daquela vertiginosa falta de motivação. Só fico a atinar seu rosto, paraliso, e admiro sua imagem mentalmente.
Esta nossa relação de amor mutuo me faz muito bem. O atrito se acabou. Meu coração quebrado, agora está completamente restaurado. Por você.
Todas as lembranças remotas vem a tona. O tempo inteiro, nada que eu possa evitar. Você simplesmente flui em meus pensamentos. Fui acolhida por seu amor, e agora sou dependente dele.
Me vejo-finalmente- saindo do imenso buraco de sofrimento. Por favor, nunca se vá.
Eu sempre irei preservar este amor. E mesmo que ele acabe, serei eternamente grata.
Você me salvou de meu próprio lado negro e sórdido. Abriu meu olhos para o mundo. Mesmo sem saber disto.
Você conseguiu trazer vida, a insignificantes
fragmentos de amor.

Beijos D.

Distante de mim

Tudo mudou, quando tive de partir. Guiada para longe de você. Em quanto me afastava um turbilhão de pensamentos invadiram minha mente. Eu via você sumindo, as lágrimas tomavam conta de meu rosto. A musica que escutava naquela manhã, ficou gravada em mim. E me persegue.
Sinto você tão distante de mim. Não há como esquecer de tudo que passamos, mas minha memorias estão sumindo. Eu tento revive-las, mas todas as minhas tentativas são fracassadas. Eu sinto saudade do seu sorriso. Eu sinto saudade de seus beijos. Tudo o que desejo é poder lhe abraçar, isto parece tão impossível agora. Uma possibilidade distante.
Tudo o que tenho feito é recordar todos os momentos. Todos os segundos, mas cada vez mais, isto parece inútil. Eu sinto sua frieza agora. No momento em que ambos precisam de ajuda estamos assim. Fui obrigada a lhe deixar, e agora estamos assim, sem rumo. Dependendo tanto um do outro, dependendo de um amor quase inexistente. Só o que restaram foram meras lembranças, e fica cada vez mais difícil viver delas. Eu sinto sua essência sumindo de mim. Minha pele já sentiu o calor da sua e as vezes, é como se eu sentisse de novo, e em seguida, desaparecesse cinzas em seu lugar. Deixando um lugar vazio, que será sempre seu. Você se encontra tão distante de meu coração... Logo agora, que eu preciso lhe salvar, e parece que toda minha força cai em um monturo inútil e desaparece com o tempo.
É dificil discernir o que foi sonho e o que foi real. Mas sei, que já estive em seus braços. E é o unico lugar do mundo, que desejo estar agora.


Beijos D.

A nossa melodia



Fico sentada aqui apenas observando o mundo girar. Com os fones de ouvido e a alma aberta, reflito até que a noite caia. Minha mente está tão cheia de tudo, que chega a estar vazia. Observo no meio da escuridão a estrela mais brilhante do céu.
Escuto melodias. Sons agudos. Sons graves.
Como seria nossa musica? Uma melodia linda. A nossa melodia. O nosso ponto de conexão. Lenta e inspiradora no começo. No meio, retrata a dor.
Como será o final? Oh, me diga. A letra seria tocante, fria mas emocionante. A batida seria forte. Como a de nossos corações.
As notas iriam pairar pelo ar. Iriam dançar conosco. Nos rodear, como uma magia invisível, que não se vê, se escuta. E que não se escuta, se sente.
Ela iria modificar nossa frequência, se deslumbrando sobre o espaço tempo. Se aperfeiçoando em nosso amor, enchendo nossos corações.
Em quanto continua brilhante lá em cima. Eu continuo sentada aqui, me habituando a escuridão tentadora. Paralisada. Porém, sem medo. Talvez você estivesse em meio a esta escuridão.
Ela me tirou tudo o que eu tinha (You)
Tudo o que eu tenho (You)
Imaginando nossa musica. Tocada lentamente, vista de seus olhos. Expressando a doçura do seu toque a perfeição de suas palavras e sua imagem divina.
Por que hoje? Por que agora? A nossa sincronia. Que faz um momento igual, único.
Caminhe até mim. Me proteja e me conforte em seus braços. Não exite em me beijar. Não exite em aproveitar o tempo que temos, é curto. Me mostre que é meu. Me faça sua.

Eu te amo




Beijos D.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Madrugadas frias


Como posso lhe perdoar se você mesmo não se perdoa? Deve perdoar a si mesmo, para poder permanecer em paz.
A antiga frieza se foi e não consigo recupera-la. Via tudo com ignorância, e preferia assim. O sangue frio corria em minhas veias, e agora está fervendo. O mundo em volta não enxerga a dor. A nossa dor. A nossa sobrevivência. Nos ergueremos juntos você verá. Me encontro perdida em meu próprio ego. Em meu próprio vazio. Mas vai mudar, você verá. Meus pensamentos parecem sem importância, mas farão. Quando saírem em palavras, apenas tento encontrar as minhas palavras nesta confusão de memorias.
Sempre há um jeito de se encontrar.
Nas madrugadas, prefiro me deitar ao chão. Ele é tão frio, solitário. E isto me iguala a ele. Ele se envolve com o meu vazio. Assim me sentia menos perturbada. Por saber que não era a única infeliz, naquela madrugada tenebrosa e silenciosa. Minhas lágrimas caiam sob ele se secavam e sua madeira as absorvia. Assim como minha dor.
Mas querido, não seja tão frio agora. Me de sua mão. Preciso saber se está realmente ao meu lado.
Tento ocultar os sentimentos ruins. E vou conseguir. Eu irei tentar tirar tudo o que há de ruim aqui. Tudo o que há de ruim em você também. Você é minha luz. Não quero que esta luz se apague. Apenas sofro com a dor dos outros. Com a sua dor. Permaneça vivo, para que eu permaneça saudável.


Beijos D.

domingo, 6 de março de 2011

Desistencia


Me doí ver sua desistência. Me doí ver seu olhar triste e abandonado. Oh, você pede socorro, mas não sei como lhe ajudar. Minhas palavras não são mais suficientes. A verdade lhe consome. Tem de haver um coração por baixo daquela armadura. Sei que é difícil, mas resista. Tudo lhe indica para continuar tentando, mas tentando se manter firme. Sabe que ele não está morrendo. Já está morto. E não a nada que possamos fazer. Todos lhe trazem sorrisos. Mas seu sorriso é frio. Seu sorriso não tem mais vida. E isso me entristece. Tudo grita ao seu redor, mas seus gritos não são escutados. Não por quem deveria escuta-los. Não desista. Não aguentaria saber que respiro um mundo no qual você chora.

Beijos D.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Derramando lágrimas sobre seu túmulo


Todos os que amei não tiveram forças para se aguentarem vivos.
Todos morrem em quanto permaneço viva,
derramando lágrimas sob seus túmulos.
Não pude fazer nada para impedi-los.
Só o que posso fazer é lamentar por suas almas.
Em suas lapides, suas memorias.
É difícil deixar os momentos que nos tivemos.
Deve ser difícil ver minhas lágrimas, oh, eu sei.
Eu estou tentando ser forte. Minha lápide está pronta,
só estão esperando que eu morra. Que eu morra por te ver morrer.
Eu irei continuar,por você. Eu irei aguentar, por você.
Como posso criar laços com outro alguém no qual não amo?
Meu coração pertence a um homem do reino inimigo.
meu coração pertence a um homem morto.
Eu tentarei te salvar meu amor.
Não aguentarei muito tempo sozinha.
Não posso assistir sua morte. Sei que não quer minhas lágrimas,
sei que não quer que eu me prenda em alguém como você,
mas como posso evitar?
Eu vejo meu destino nas estrelas. Elas não mentem,
elas não mentiriam. Eu vejo a indiferença entre nossos corações.
Eu vejo um amor por baixo desta escuridão,
que toma seu coração desalmado.
Volte para mim. Não me abandone pela escuridão como os outros.
Eu vejo uma esperança em você. Eu vejo em seus olhos mascarados,
que você quer mudar, porém pensa que não consegue,
não sabe de onde buscar forças.
Eu estou aqui. Meu coração é todo seu. Está ferido, mas é seu.
Use de minha força.
Não aguentarei muito tempo, venha logo.
Meu túmulo está vazio esperando por mim.
Esperando que eu perca as forças. Minha força vem de você,
Volte para mim. ç.ç

Beijos D.