Páginas

domingo, 6 de fevereiro de 2011

A vida dos mortos


Em quanto você está ai na sua vida, atraindo almas alheias, nas quais ficam dependentes de seu amor, eu continuo aqui. Também viro uma dependente de seu sangue. Você estava tão proximo. Você estava aqui. Agora você está tão distante. Tão distante que eu nem poderia lhe alcançar. Eu teria de largar tudo por você. Mas você não faria o mesmo por mim.Você não precisa de mim. Este é o problema. Maldito seja, o cupido que me colocou nesta situação. Amando um homem no qual é mais poderoso e não necessita de mim para se alimentar.Me sugou por um momento. Recuperou suas forças e depois não me chamou mais. Você me ve como uma irmã de alma.
Fiquei perdida. Pois você foi para um caminho diferente do meu. Nossos caminhos se cruzaram e depois se distanciaram um do outro. Eu não entendo você. Seu sengue ferve pela garota das duas faces. Que se apaixonara por outro homem. Então eu lhe vejo chorando por outra mulher. E o meu mundo cai. Pois você é o meu mundo. Você é tudo aquilo que eu preciso. Você curou meu coração. Agora faça de novo. Preciso impeidir que a ferida se abra. Então me diga por favor, devo continuar pedindo pelo seu sangue? Não vejo salvação agora. Há muitos mortos pelo chão agora. Eu estou enfraquecendo. Me ajude. Eu posso curar sua ferida. Eu tenho amor suficiente para nós dois. Mas ele não funciona apenas para mim mesma. Me ajude, eu estou cada vez mais fraca. Minha garganta está secando e não consigo falar direito. Meus olhos estão queimando. Minhas mãos estão sanguando. O chão está muito quente. Estou queimando. Sei que há muitas almas para você salvar antes da minha, mas não se esqueça de mim. Eu estou morrendo. Você não vai querer isto. Eu lhe curei, você lembra? Me retribua. Me apaixonei pelo ser poderoso no qual havia uma ferida. Meus olhos brilhantes lhe fizeram bem, minha sinceridade e meu amor lhe enforteceu. Minhas lágrimas queimam meu rosto. A dor se apodera de meu corpo. Meu coração é esta ficando negro. Esta energia maligna que esta se instalando em mim. Meus olhos não são mais os mesmos. Me tire daqui antes que isso termine. Me tire antes que eu me transforme por completo. Eu me tornando em seu pior pesadelo. Há uma morta na minha frente. Ela está chorando. Ela está pedindo ajuda. Eu preciso mais que ela. Mais este meu reflexo inutil está me assombrando. A abracei. A morta tomou de minhas energias. Ela se apoderou. E agora sai caminhando. E esta lamentação não termina. Está furia imortal vai me deixar aqui no chão. Os espiritos formados pela luz da lua me dão forças negativas para que eu eu não morra. Para que após a morte eu continue viva. Agora eu danço. Faço os movimentos nos quais eles me ensinam. E esta tortura continuara. Pois nunca vou recuperar minha alma. Não sozinha. Traga minha alma para mim. Faça-me viver de novo. Recupere o amor que continha naquela alma. Meu coração era puro. E só o que tenho agora é um coração morto. Movido a promessas mentirosas, a sorrisos forçados. Movido a esta tortura que só aumenta. E a dor me consome. Sou movida pela força deles. Minha energia retirada da deusa das trevas me faz mal. Eu piso em cima destes mortos no chão. E não os desejo o mesmo destino que eu. A tantos vivos mortos. E Tantos mortos vivos.
Você sabe que tudo isso aconteceu por sua causa. Eu me sacrifiquei por você. E este sacrificio deu nisto. Não sinto meu corpo. Mas continuo dançando. Continuo dançando para os mortos. Volte aqui. Volte para meus braços. Você pode me salvar. Repito. Traga minha alma de volta. O medo está presente aqui.
Eu invejo o dominio em que os vivos tem para com seu proprio corpo.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário