Páginas

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Um mar de palavras


Palavras esquecidas, banhadas de emoções, guardadas em algum lugar oculto dentro de você.
Deitadas sob o leito do mar.
As palavras nas quais procuro costumam fugir e me deixar sem fala.
nos momentos que tento esquecer
elas aparecem e abrem minha mente
quando coisas surreais saim de minha boca e vão para o papel
para que ela jamais fujam
Elas me resumem. Simples palavras nas quais podem descrever como você me deixou,
como a dor nos distroi.
Quando olhamos para trás deixamos palavras que queremos esquecer
quando nós caimos no mar de palavras, tudo para tão confuso...
E mesmo assim tudo faz sentido
e este mar é tão agitado,
este mar está tão feroz.
Eu me afogo em meio aos meus sentimentos, me afogo em tudo aquilo em que eu mesma criei
Eu tento acalmar tudo.
mas parece que quanto mais tento mais este mar aumenta, mais ele tenta me afogar.
e você me salva de minhas próprias confusões.
Me afogo em um mar de lágrimas, que congela junto com meu coração.
pois o tempo para, e as ondas aumentam.
Eu tento chegar a praia, eu tento encontrar alguém para morar comigo.
Eu tento encontrar alguém que saiba nadar.
Mas em meio a tudo, encontro outras almas silenciosas,
que esperam por mim,eu me arrisco,eu me sacrifico para salva-las. Eu recolho suas palavras, eu abraço seu imenso mundo. Pois nada mais importa.
Me salvar sozinha é algo difícil. Mas me salvar com alguém se torna algo lindo. Se ajudar mutuamente.
Mas quando precisamos nadar para lados opostos, tudo parece perdido.
O ódio penetra na água e o sol a aquece.
Preciso acima de tudo,aprender a nadar e desfrutar do mar em vez de me tornar inimiga dele.
Boiar sob seu leito

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário