Páginas

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Minha estrela



Eu não sou uma boneca, eu também sinto dor. Sei que você não me entende, mas me tire daqui. Você agora é minha esperança. Meus gritos abafados pelo travesseiro, minhas lágrimas derramadas durante o banho tudo pode ser banido por seu amor. Pois ele é mais poderoso do que qualquer coisa. É dificil de entender mas, eu te amo. Tanto que você nem pode imaginar. Você é tudo o que eu tenho agora, por favor, continue me dando seu amor, não vá embora. Seria meu fim. Palavras frias ecoadas durante a madrugada são sinceras. O brilho de meus olhos diante ao amanhecer são reais. Nunca consigo dormir. Passo a madrugada inteira sob o céu observando as estrelas, cada uma delas tem seu brilho especial, e você meu amor, é a minha estrela. Continue brilhando. Para que um dia, eu aprenda a voar e possa pega-la.Eu me isolo, tenho medo; Mas tente me ajudar. Não sei se alguém pode me entender. Só quero sair daqui. Este lugar tem saída. Tem que ter. Não é justo que só tenha entrada. Não é justo que não tenhamos a chance de ver o mundo de novo. Um lugar sem saída? Sem qualquer chance de sobrevivencia? Eu preciso achar a saída. Não posso viver distante de seu amor. Preciso flutuar, preciso buscar seu brilho, sua luz, e trazer para alimentar minha alma. Me guie. Corações alheios tentam me impedir. Me estenda a mão, eu só quero abrir os olhos de novo. Eu só quero enxergar o sol outra vez. Me tire da escuridão. Não consigo viver sob cacos, não quero mais sentir esta dor que queima. Queima meu coração. Ele ainda pode ser salvo, só depende de você. Me tornei dependente de seu amor. Não me deixe morrer. Não posso me tornar uma morta viva, de novo.Minha respiração está fraca e eu não escuto mais meus próprios sussurros. Eu sinto a dor cada vez mais forte cravando meu coração. Você é a cura. Suas palavras espantam o mal que está me dominando. Eu preciso escuta-la de novo. Diga que me quer. Diga que me ama.Doí cada vez mais. Dor física e psicológica. A psicológica me tira a visão e despedaça meu aquilo que ainda posso chamar de coração, mas não por muito tempo. E eu desconto em mim mesma, isso faz eu me auto corroer. Me auto-destruir. Pois prefiro deixar tudo aprisionado dentro de mim a libertar a dor para almas inocentes e corações puros. Dor física, esbanja a dor psicológica, me faz esquecer que ela é mais forte. O sangue quente que ainda há em minhas veias pede socorro. O sangue é um jeito de mim não descontar em minha própria mente. tento conserva-la. É um jeito de me quietar.Me salve, apenas suplico que me salve. Me tire deste imenso buraco de sofrimento, dor e solidão. Me deixe ver sua estrela brilhar de novo.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário