Páginas

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Sua luz se apagou





Tudo mudou. Suas palavras saim tão frias.
Não o recolheço mais. Algo lhe mudou.
Suas palavras apunhalam meu coração e o faz sangrar.
E mesmo ferido, mesmo machucado, ele te ama.
Já não sei distinguir quando é dia e quando a noite.
O céu está negro.
Tudo mudou. Aquela linda luz se apagou.
A madrugada nunca foi tão sombria.
Você se afundou. E me levou junto com você.
Tento encontrar alguma luz. Tudo se tornou tão sórdido.
Você partiu. E levou meu sorriso com você.
Agora está no alto. Aonde não posso alcançar.
Está manipulado por mentes traiçoeiras. Por coração sujos.
Não é você. Sua luz está escondida em algum lugar dentro de você.
Eu a quero de volta. Eu preciso dela de volta.
Não me negue amor. Você nunca o faria.
Não se esconda por baixo das sombras. Ela sempre estará acima de você.
Você parece tão distante e tão próximo ao mesmo tempo.
Seu silencio rasga meu coração. Seu silencio me distroi.
Só o que resta agora são minhas lágrimas e minha lamentação,
diante a uma bela melodia. A sua melodia. A nossa melodia.
Você a destruiu.
Eu deveria querer lhe matar. Eu deveria amaldiçoa-lo.
Eu quero você inteiro. Eu quero você inteiro para mim.
Apenas traga de volta aquele que eu conheci, aquele pelo qual me apaixonei.
Não se envolve a escuridão, ela só está o puxando para mais fundo dela,
para poder lhe engolir de sofrimento quando você não tiver mais como se salvar,
você sabe que só sairemos deste lugar sombrio juntos. Tudo acima de nós,
tudo aqui pode ser nosso. Só nosso.
É nossa única chance.


Beijos D.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Um mar de palavras


Palavras esquecidas, banhadas de emoções, guardadas em algum lugar oculto dentro de você.
Deitadas sob o leito do mar.
As palavras nas quais procuro costumam fugir e me deixar sem fala.
nos momentos que tento esquecer
elas aparecem e abrem minha mente
quando coisas surreais saim de minha boca e vão para o papel
para que ela jamais fujam
Elas me resumem. Simples palavras nas quais podem descrever como você me deixou,
como a dor nos distroi.
Quando olhamos para trás deixamos palavras que queremos esquecer
quando nós caimos no mar de palavras, tudo para tão confuso...
E mesmo assim tudo faz sentido
e este mar é tão agitado,
este mar está tão feroz.
Eu me afogo em meio aos meus sentimentos, me afogo em tudo aquilo em que eu mesma criei
Eu tento acalmar tudo.
mas parece que quanto mais tento mais este mar aumenta, mais ele tenta me afogar.
e você me salva de minhas próprias confusões.
Me afogo em um mar de lágrimas, que congela junto com meu coração.
pois o tempo para, e as ondas aumentam.
Eu tento chegar a praia, eu tento encontrar alguém para morar comigo.
Eu tento encontrar alguém que saiba nadar.
Mas em meio a tudo, encontro outras almas silenciosas,
que esperam por mim,eu me arrisco,eu me sacrifico para salva-las. Eu recolho suas palavras, eu abraço seu imenso mundo. Pois nada mais importa.
Me salvar sozinha é algo difícil. Mas me salvar com alguém se torna algo lindo. Se ajudar mutuamente.
Mas quando precisamos nadar para lados opostos, tudo parece perdido.
O ódio penetra na água e o sol a aquece.
Preciso acima de tudo,aprender a nadar e desfrutar do mar em vez de me tornar inimiga dele.
Boiar sob seu leito

Beijos D.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Dor em cada pingo de chuva


Estou aprisionada em laços insanos.
Somente eu e lágrimas intrusas.
O quero perto e longe ao mesmo tempo.
Não consigo ao menos enxergar a vertigem da manhã.
Estou presa neste pequeno espaço ocupado por dor.
Minha felicidade está por trás dos portões.
Me tornei prisioneira de meu próprio coração.
Segredos tão bem escondidos, enfim revelados.
Tudo está além de meu alcance.
Revelações de uma noite qualquer,
agora jorrada em lágrimas sem importancia.
O medo de dormir. O medo de acordar.
O céu nunca me pareceu tão distante.
As rosas agora caim ao chão.
O silencio agora despedaça meus sonhos.
Presa no vertiginoso som do silencio.
Golpeada aonde menos esperava.
E eu fui a responsavel por este isolamento.
Seus sorrisos vão sumindo
Como se nunca tivesse existido
Como se você desaparecesse.
Preciso tanto de você quanto você de mim.
O som da chuva prende meus pensamentos.
Evito as lembranças remotas.
Tudo pela maldita infâmia.
Meu passado me caça.
Ofuscar a magoa.
A tempestade lá fora me impede de adormecer.
As lembranças congelam.
O presente sufoca.
E sua voz passageira me faz tremer.
Sua ausencia me perturba.
Não tenho conhecimento ao certo do primórdio da situação em que me encontro.
Creio que sou minha própria assasina.
Meu olhar reluzente agora dá lugar a um olhar sórdido.
Uma neve de amargura cai sobre mim.
Preciso de um resgate. Não quero continuar aqui. Enxergo tudo tão distante...
Meus sonhos foram limitados.
Me deito na grama em meio a chuva e imaginando como seria se eu fugisse deste lugar.
Observo o crepusculo do dia.
Há tantas coisas nas quais não posso tocar.
Minha alma chora comigo.
Meu ego me chama para mais fundo dele.
Agora vejo a importancia.
Estou cansada do sadismo.
O que mais me abala nesta prisão são os olhares ignorantes e silenciosos diante as minhas lágrimas.
Quando não consigo mais chorar,
Eu grito.
Quando não consigo mais gritar,
Eu choro.
Mas consiguirei sair deste lugar assustador.
Vou preservar nossas almas.


Beijos D.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A fuga do anjo em meio a tempestade




O luminoso céu sempre foi assim. Intocável.
Eu sempre roubo lágrimas que não me pertencem.
Mas elas caiem sem que eu queria.
Em quanto a água do chuveiro toma minha pele e escorrega até o chão.
Em quanto me encontro nesta lamentação.
Você se deixou levar pelos desejos insanos.
Eu não quero lhe enterrar.
Eu ainda creio que você poderá vencer.
Vejo seu destino refletida na luz da lua.
Você vai vencer.
Em quanto você pisa nestas rosas que um dia já foram suas,
eu apenas lhe espero, cavalheiro.
Você quase me abandonou por uma tentação que lhe envolve.
A escuridão lhe caça.
Começou o grande atrito entre a luz e as sombras.
Você precisa escolher seu lado antes que minha respiração pare.
Você está matando seu anjo.
Você escolheu isto. Apesar do remorso, você continua me torturando.
Minhas asas estão fracas. Não posso voar tão alto agora.
Está nas suas mãos. Sabe que seu destino irá traçar o de nós dois.
Se você não seguir minhas palavras, pode saudar um novo anjo,
eu me tornarei um anjo negro. Você irá desintegrar meu coração.
Uma alma soturna.
Você vai me dilacerar. Não quero sair despedaçada de uma dor que não me pertence.
Este vento vertiginoso me toca e sussurra. Mas eu não vou lhe deixar.
Palavras soam sem parar em meus ouvidos. Mas eu as ignoro. Ainda tenho esperanças em você. Eu só tenho você agora. Eu não posso abandonar meu unico motivo de sobrevivencia. Eu sou seu anjo. E vou lhe proteger até seu ultimo suspiro.
Lembranças remotas invadem meus pensamentos. Meu passado não pode me condenar.
Eu lhe ajudarei, eu lhe darei todas as forças necessarias;
Basta você querer ser salvo. Não se solte, não se afunde, não desista. Você irá me levar para o caixão junto com você, então por favor. Pare.
Volte para mim. Se que não quer me magoar.
Então decida-se logo.
Não faça seu anjo chorar.
Meu coração permanesse puro,
eu não quero dar espaço a dor.
Impeça isto. Eu morrerei assistindo a sua morte.

Beijos D.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Derrotada


Você sabe que ninguém venceria não sabe? Este grande pesadelo parece não ter fim.family:arial;font-size:85%;">A garota e o garoto nunca foram iguais. O garoto a transformou exatamente igual a ele.
Assassinou seu coração.
E o assassino continua querendo ter poder sobre ela.
A garota que chora.
O garoto que se vinga.
No inicio tudo parecia perfeito. A inocência. A dor. O amor.
Mas a mascara dele caiu. Ele não era o que aparentava.
Duas caras.
Uma boa. Uma ruim.
Agora ele faz questão de mostrar seu lado mais assustador. Ele o culpa por ama-la. Ele a culpa pelas lágrimas arrancadas, ela o culpa pelo amor ter secado. Ele o culpa por ter despertado seu coração. Seu coração que havia parado com o tempo. Creio que ele preferia assim.
Ele não conhecia o amor. A garota lhe mostrou o que é amar. E lhe mostrou também como é não poder ter que se ama. Mostrou como é sofrer. Como é chorar.
E só final, todos perderam. E este amor fracassado afetou todos em volta. Afetou todos aqueles que presenciaram eles sendo enterrados vivos. Bem devagar. Deitados. Até que já não dava mais para ver o sol. E todos viram isto. Vira quando ficaram completamente cegos.
Ele empurrou a terra. Ele levantou a mão e se levantou. Mas não foi para se salvar. Foi para cuspir nela.
Ela chorou. E não entendeu nada. Simplesmente rezou para que tudo melhorasse. E ele zombou dela.
Ambos cansaram.
Ele descarregou tudo nela. E ela, nela mesma.
Entrou viva. Saiu morta.

Beijos D.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Exercito dos desalmados




Não junte-se a eles. Eu lhe suplico.
Eles irão roubar sua vida. Eles irão roubar seu coração.
Aquele no qual está quase morto.
Não desista de viver. Não se junte a este exercito sórdido.
Reprima seu medo de lutar contra eles. Não faça o oposto.
Este atrito de amor e ódio dentro de você está me atormentando.
Não se junte a eles. A escuridão não é tão boa quanto parece.
O caminho mais simples nem sempre é o melhor;
Não se perca em meio dele. Eu vou te guiar.
Siga a luz que estiver acima de você. A estrela mais brilhante irá lhe ajudar.
Escute com calma seus pensamentos.
As palavras surgirão baixas. Sussurradas.
Me use como força meu amor.
Não desista. Continue lutando.
Você sabe que as promessas deles são mentirosas não sabe?
Você sabe que ele só querem comprar sua alma não sabe?
Não se deixe levar pela tentação. As sombras são impiedosas. Você não terá uma chance de voltar.
Você escapou uma vez. Será impossível escapar de novo. Não terei como lhe ajudar.
Escute meus gritos silenciosos e desesperados atrás da sombra da lua. Tudo está em jogo.
Está noite tudo pode mudar. Seu corpo pode ser tomado.
Não seja imprudente.
Você morrerá. A escuridão tomará conta de você. Irá entrar em suas veias.
Você não poderá fazer nada. Fuja deste caminho. Aguente firme.Depois que lhe possuírem, sua pele irá apodrecer em meio a corações mortos. E então eles se vão. E lhe deixam sem vida. Após ter sugado toda sua força. E ali, é seu fim.
Não há como se salvar depois que tudo estiver feito. Você terá que fazer companhia para as almas sacrificadas, e aos corações que ainda pulsam. Mas por pouco tempo. Você terá que mata-los. Assim como fizeram com você. Você estará entre eles. Você estava vivendo de forças alheias. Você roubará a alma dos corações puros para poder viver.
Seu coração eternamente gélido precisará de sangue fresco. E você não terá pro si próprio. Você terá de adotar os hábitos deles. E fazer vitimas. Vitimas de um acaso. Vitimas de corações esfomeados, que não conseguem amor por si próprio.
Você me levará com você. Sabe disto. Irá se alimentar de mim. E quando eu estiver praticamente morta, você olhará para meus olhos e não irá me recolher. Pois a mulher que mais o quis salvo, foi morta por suas mãos.
E o remorso irá lhe dominar. Sabe que você deve muito a mim. Sabe que lhe salvei diversas vezes. Não gostaria de me levar com você, para o mais fundo das trevas. Para baixo. Junto com os mortos. O que você mais admirava em mim irá sumir. Minha alma pura. Minha perfeição.
A verdade doí. Mas é necessário ser dita. Acredite em minhas palavras que ecoam em seus pensamentos.
Salvasse. Você estará salvando a nos dois.
Se você morrer, sabe que morrerei também.
E serei obrigada a fazer mais vitimas. A cravar corações. Corações nos quais, eu apenas curava.
Serão milhões de almas aprisionadas em um mundo sem saída.
Milhões de almas suplicando por uma chance de vida.
Milhões de almas se corroendo.
Elas invejam sua vida.
Elas invejam seu auto controle.
Elas invejam sua fuga.
Quando meu rosto pálido e sem vida aparecer diante de seus olhos, vai se lembrar do que eu estou falando.
Por favor. Não se junte ao exercito de desalmados.
Não precisamos nos afogar neste mar almas vingativas.


Beijos D.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Seu anjo


Seu rosto era frio e sem expressão. Um olhar de tristeza crava meu coração e me sufoca. Você parte para sua temida batalha. Eu me sento amedrontada pelo que pode acontecer. Esperando que você volte logo. Se voltar; O remorso por não ter te parado me domina. Eu não consegui lhe parar. Exitei. Fiquei paralisada sem reação alguma. Por fora. Pois por dentro meu coração se retorcia e a dor era de uma faca cravando meu peito depois sendo torcida. A dor aguda me calou. E meus berros não foram ouvidos. Você os ignoraria. Mas eu teria ao menos tentando. Não sei ao certo como consegui aguentar sua partida.Meus olhos cristalinos viam você sendo derrotado. Eu via seus últimos suspiros. O sangue se espalhando pelo chão. Eu sabia que algo daria errado. Precisava salvar o você. Mas não pude lhe impedir. No silencio da madrugada as palavras, o medo, a angustia, a revolta e a tristeza pairavam sobre o ar. Um vulto repentino e toda minha tentativa de esquecer acabavam. As memorias boas estavam tão distantes. Eu via a morte tão de perto... Eu via a morte como nunca vi antes... Eu via a sua morte. Não podia suportar saber que seu coração poderia ser apunhalado, que as lágrimas de seu rosto podiam voltar. Eu desejava você inteiro. Eu olhava para a estrela mais brilhante do céu. Ela falava comigo. Eu desejei que ela cuidasse de você na desgraça desconhecida na qual você estava. A escuridão me procurava para me lembrar. A lua me alertava do perigo. Minhas lágrimas caiam ao chão e secavam rapidamente, como uma dor sem importância. Fechava os olhos e esperava a ferida se abrir. Uma pontada rápida e profunda golpeava meu peito. Então os abria novamente com dificuldade. Com medo do que poderia ver. Eu sabia que naquele exato momento você poderia estar não respirando. Então tudo o que eu tenho iria deixar de existir. Eu ficaria completamente sozinha e sem proteção nesta casa vazia e assombrada. Assombrada de lembraças. Fui até o jardim. As rosas mortas, as plantas murchas. Assim como eu me encontrava. Me joelhei sobre o chão gelado e esperei que alguém atendesse meu pedido. Eu queria que um anjo me ajudasse. Eu queria alguém para cuidar do meu amor. queria alguém para te manter vivo e inteiro, para que eu permaneça viva e inteira também. Você é um pedaço de mim. Não posso deixar que uma parte de mim morra. Você não pode me abandonar. Meu amor, aonde quer que você esteja agora. Lute. Seja bravo. Eu te mando todo o amor que eu tenho. Te mando toda a força que for preciso. Continue. Não desista. Por você. Por mim. Por nós dois. Sinta como se eu estivesse com você. Me sinta. Assim conseguirei lhe sentir também.
Colhi uma rosa negra. Podre. A ergui para o céu e desejei que tivesse uma esperança. De que tudo se renovasse. De que tudo desse certo.
No reflexo do espelho vejo uma vida sendo destroida por sua maldição. Pelo seu coração negro. Eu estava lhe salvando. E isso me mantia viva. Não coloque em risco o seu coração quase curado. Não o destrua com lembranças amargas. Não o destrua a toa. Lute por ele.
Eu estava lhe ajudando. Eu estava lhe curando. Agora tente fazer isto sozinho. Me desculpe pela preocupação. Mas eu não conseguiria viver sem você. Dono de meus sonhos, razão de minha alegria, dominante de meu coração e intruso de meus pensamentos. Eu sou seu anjo. Eu cuidarei de você até o fim. E este fim não está próximo. Não se você impedir. Em quanto você luta, eu rezo, rezo para que tudo de certo. Para que você permaneça vivo. Em quanto você luta, eu estarei aqui lhe esperando para quando você voltar. Ignore as promessas tentadoras. Fuja das palavras mentirosas. Siga seu coração. Saia das sombras. Domine seu lado obscuro. Você é mais forte, não se enfraqueça diante a sedução do caminho que o chama. Tire esta mascara. Vença. E depois volte para mim. Eu te amo. E te espero em quanto você não volta desta terrível batalha. Te espero em quanto minhas lágrimas caim e refletem a dor que estou sentindo. Seu anjo está com você, acredite. Apesar da distante, estou cuidando de você. Aqui, nesta maldita madrugada silenciosa. Pois o silencio berra em meus ouvidos, e o vazio me ataca. Eu só quero que você se salve.

Beijos D.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Gritos de dor no calar da noite



Apesar de andar sempre para frente,
eu andei em círculos.
E por mais que eu corresse. Por mas que eu procurasse um caminho,
parava sempre no mesmo lugar.
Sempre no mesmo ponto. A parte que eu mais odeio neste caminho.
Este único lugar aonde eu sempre chego depois de andar muito.
Eu tento correr rápido, tento andar muito, com muito esforço vou além do que fui na ultima vez, apesar de cansada, continuo correndo, ofegante.
E quando penso que finalmente, cheguei a um lugar diferente,
percebo que estou no ponto de partida, de novo.
Após tanto esforço, minhas pernas doem.
Minhas mãos arranhadas ardem.
Fico fraca.
Caio no chão.
No mesmo lugar aonde sempre estive e nunca consegui sair.
Eu tento me levantar, mas fico sem forças.
Fico deitada, por muito tempo, sem conseguir levantar.
Prestes a desistir.
De repente, começa a chover.
As gotas geladas caim sob mim.
O chão fica úmido.
Aperto a terra do chão com os punhos,
tento me levantar com uma mão apoiada no chão, e outra a altura do coração
como se eu cuidasse de uma ferida enorme. Uma ferida impossível de ver.
Uma ferida de dor crescente.
Rapidamente, caio novamente.
Deitada para cima, olho para o céu.
Cinza, nublado, maligno.
Os trovões raivosos reclamam de minha desistência.
Levo minha mão até o peito. A deixo sobre a outra.
minha pele gélida, meu corpo fraco.
O ferimento sangra mais.
Como se ele aumentasse a cada instante.
O sangue escorre pelas minhas mãos e se mistura a chuva fria.
Eu grito.
Eu não perdi as esperanças apesar de tudo.
Eu tento pedir socorro,
mas parece que estou completamente sozinha aqui.
Meus olhos pesados me vencem.
Não consigo mais abri-los.
Eu escuto sons,
passos.
Escuto palavras que me dizem para aguentar,
mas não entendo quem as diz.
Talvez minha mente? Talvez só imaginação?
Consigo abrir os olhos e me encontro em seus braços.
A chuva continua caindo sob meu rosto,
agora a chuva não se mistura ao sangue, e sim as minhas lágrimas.
O sangue parou de escorrer.
Sua mão se encontra sob meu peito, curando minha ferida.
Então me encolho para escapar do frio,
sabendo que agora, estou em segurança.
Pois você foi o único, que escutou meus gritos.
O único, que identificou minha dor
e veio me socorrer.
Você conseguiu, cicatrizar minha ferida.
As nuvens vão embora,
e o céu se ilumina.
E finalmente, consigo tomar outro rumo.
Consigo sair do lugar, sem voltar para o inicio.
Tudo por que você me salvou.

Beijos D.

A esperança refletida no sol


Talvez, ainda há uma esperança. Uma esperança para nós dois.Nossos corações podem se curar juntos,
Unidos pela força do amor.
Você apareceu na minha vida e mudou tudo completamente;
Finalmente, encontrei a saída da escuridão.
Meu coração é seu agora. E não poderia ser de ninguém melhor.
Por tanto tempo, eu esperei alguém como você, e você estava tão perto, tão perto, que eu nem pude perceber. Isto a te te enxergar de verdade.
Agora você tem minha vida em suas mãos. Tem minha força. Use-a para lhe curar,
você saiu tão ferido desta batalha.
Eu curarei suas feridas, em quanto você cura as minhas.
Você salvou minha vida.
No momento em que eu estava tão fraca. Eu não conseguia me levantar, o tombo havia sido forte demais. Você me encontrou no meio do nada, você se rastejava, e assim, nós levantamos juntos.
Nós nos encontramos por um motivo: Curar tudo o que nos machucou por tanto tempo e aprender a viver.
Você é completamente perfeito. Igual a mim.
Não me abandone, agora, eu dependo de você para continuar de pé.
Você iluminou tudo. Agora posso enxergar com clareza. Meu sol negro e petrificado foi restaurado. Brilha mais do que nunca.
Havia uma faca cravada em meu coração. Em quanto o sangue descia, eu tentava olhar para o sol. Parecia tão distante. Tão obscuro. Mas eu consegui ver uma esperança debaixo de tanta dor.
Eu sentia, que você chegaria. Eu sabia. Meu coração morto sabia.
E você chegou. Eu levantei a mão. Você a pegou. Em um simples olhar, você entendeu tudo.
Me salvou do pesadelo no qual eu vivia, e ressuscitou meu coração.

Beijos D.
Texto antigo, editado e repostado

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Minha estrela



Eu não sou uma boneca, eu também sinto dor. Sei que você não me entende, mas me tire daqui. Você agora é minha esperança. Meus gritos abafados pelo travesseiro, minhas lágrimas derramadas durante o banho tudo pode ser banido por seu amor. Pois ele é mais poderoso do que qualquer coisa. É dificil de entender mas, eu te amo. Tanto que você nem pode imaginar. Você é tudo o que eu tenho agora, por favor, continue me dando seu amor, não vá embora. Seria meu fim. Palavras frias ecoadas durante a madrugada são sinceras. O brilho de meus olhos diante ao amanhecer são reais. Nunca consigo dormir. Passo a madrugada inteira sob o céu observando as estrelas, cada uma delas tem seu brilho especial, e você meu amor, é a minha estrela. Continue brilhando. Para que um dia, eu aprenda a voar e possa pega-la.Eu me isolo, tenho medo; Mas tente me ajudar. Não sei se alguém pode me entender. Só quero sair daqui. Este lugar tem saída. Tem que ter. Não é justo que só tenha entrada. Não é justo que não tenhamos a chance de ver o mundo de novo. Um lugar sem saída? Sem qualquer chance de sobrevivencia? Eu preciso achar a saída. Não posso viver distante de seu amor. Preciso flutuar, preciso buscar seu brilho, sua luz, e trazer para alimentar minha alma. Me guie. Corações alheios tentam me impedir. Me estenda a mão, eu só quero abrir os olhos de novo. Eu só quero enxergar o sol outra vez. Me tire da escuridão. Não consigo viver sob cacos, não quero mais sentir esta dor que queima. Queima meu coração. Ele ainda pode ser salvo, só depende de você. Me tornei dependente de seu amor. Não me deixe morrer. Não posso me tornar uma morta viva, de novo.Minha respiração está fraca e eu não escuto mais meus próprios sussurros. Eu sinto a dor cada vez mais forte cravando meu coração. Você é a cura. Suas palavras espantam o mal que está me dominando. Eu preciso escuta-la de novo. Diga que me quer. Diga que me ama.Doí cada vez mais. Dor física e psicológica. A psicológica me tira a visão e despedaça meu aquilo que ainda posso chamar de coração, mas não por muito tempo. E eu desconto em mim mesma, isso faz eu me auto corroer. Me auto-destruir. Pois prefiro deixar tudo aprisionado dentro de mim a libertar a dor para almas inocentes e corações puros. Dor física, esbanja a dor psicológica, me faz esquecer que ela é mais forte. O sangue quente que ainda há em minhas veias pede socorro. O sangue é um jeito de mim não descontar em minha própria mente. tento conserva-la. É um jeito de me quietar.Me salve, apenas suplico que me salve. Me tire deste imenso buraco de sofrimento, dor e solidão. Me deixe ver sua estrela brilhar de novo.

Beijos D.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Um quase nada


Eu me sinto completamente perdida diante a tudo. Tudo que tenho feito não é nada mais nada menos que nada. Me sinto confusa e frágil. Passo os dias esperando pelo próximo, que será exatamente igual a ontem. Dediquei por muito tempo toda a minha vida a lamentações inuteis.
Destinei meu tempo a tristezas. Não que eu gostasse disto, mas não conseguia evitar. E agora que não estou mais triste e afundada em magoas, não tenho o que fazer de minha vida. Meu unico objetivo era mudar. Era superar tudo. E agora que o fiz, me encontro na perdidão, por não ter mais motivos. Por não ter mais objetivos. É como passar a vida esperando e lutando por algo, depois que conseguir, você não seberá mais pelo que lutar. É como se só ouvessem sentimentoss ruins, e quando eles foram embora, não sobrou mais nada apenas um silencioso eco apavorante em meio a nada. Um buraco oco em meio a meu coração. Agora minha vida parece sem sentido e sem razão. Não vejo um motivo aparente para estar respirando.
Me acostumei tanto com a dor, que viver sem ela tem sido insuportavel.
O clima está sempre denso, sempre igual. E já não consigo discernir o que está de fato acontecendo. Me sinto vazia.No meio do vazio. Sem um real motivo para estar aqui, fazendo nada. Passo os dias procurando algo para fazer para que as horas se passem. As vezes elas voam, e as vezes param. Dificil entender.
Minha falta de motivação me tornou em uma morta vva sem sentimentos. Por isto, tentei encontrar emoções nos outros. Eu tentei viver dos sentimentos alheios. Eu tentei viver dos sentimentos dos outros, como uma intrusa em suas almas. Tentei roubar suas vidas tentei resolver seus problemas tentei chorar diante as suas tristezas, e consegui, por um momento previo. Por isto analisava tudo o que você dizia, tudo o que você fazia. Queria tomar suas dores, sua felicidade, suas emoções.
Não sei ao certo o que procuro; Não sei nem o que realmente quero. Eu só queria algo que desse rumo a minha vida. Um unico motivo. O meu unico motivo no entanto, é você. E você está distante demais para me proteger. Distante demais para me deixar segura. Me sinto fraca e sem vida. Precisava de algo vindo de você; Mais sinto minhas lembranças tão distantes, sinto que a exencia que você deixou está desaparecendo. Só o que restam são lembranças. E as vezes, é dificl acreditar que foi real. Sinto como se tudo não passase de um sonho. Um sonho real.
Uma mentira quase perfeita.
Um motivo quase aparente
Um mundo, quase meu.
E tudo isto na minha mente, não passa de um quase nada. E um quase,não é nada, é apenas quase.

Me deito e sinto como se você estivesse me abraçando como fez da ultima vez. Mas é apenas um nada. Uma lembrança alheia que sempre surge de repente, e eu tento acreditar que de alguma forma você está ali. Mas sei que não está.
É apenas,um quase nada.

Beijos D.

Meu mundo de sonhos



Sonhar é o que me mantém viva agora. Em meu pequeno mundo de pensamentos, de lembranças. E você sempre está lá. Você sempre aparece por lá. Mesmo sem saber, nos encontramos todas as noites. Estou presa em minhas conclusões. E, mesmo que eu saiba que não sou sua, posso criar um mundo onde seja. Tento passar a maior parte do dia adormecida. Vou ao seu encontro. Pois o único lugar no qual nós ficamos juntos, são em meus sonhos. O único lugar aonde fico inteiramente feliz.


Beijos D
.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

A vida dos mortos


Em quanto você está ai na sua vida, atraindo almas alheias, nas quais ficam dependentes de seu amor, eu continuo aqui. Também viro uma dependente de seu sangue. Você estava tão proximo. Você estava aqui. Agora você está tão distante. Tão distante que eu nem poderia lhe alcançar. Eu teria de largar tudo por você. Mas você não faria o mesmo por mim.Você não precisa de mim. Este é o problema. Maldito seja, o cupido que me colocou nesta situação. Amando um homem no qual é mais poderoso e não necessita de mim para se alimentar.Me sugou por um momento. Recuperou suas forças e depois não me chamou mais. Você me ve como uma irmã de alma.
Fiquei perdida. Pois você foi para um caminho diferente do meu. Nossos caminhos se cruzaram e depois se distanciaram um do outro. Eu não entendo você. Seu sengue ferve pela garota das duas faces. Que se apaixonara por outro homem. Então eu lhe vejo chorando por outra mulher. E o meu mundo cai. Pois você é o meu mundo. Você é tudo aquilo que eu preciso. Você curou meu coração. Agora faça de novo. Preciso impeidir que a ferida se abra. Então me diga por favor, devo continuar pedindo pelo seu sangue? Não vejo salvação agora. Há muitos mortos pelo chão agora. Eu estou enfraquecendo. Me ajude. Eu posso curar sua ferida. Eu tenho amor suficiente para nós dois. Mas ele não funciona apenas para mim mesma. Me ajude, eu estou cada vez mais fraca. Minha garganta está secando e não consigo falar direito. Meus olhos estão queimando. Minhas mãos estão sanguando. O chão está muito quente. Estou queimando. Sei que há muitas almas para você salvar antes da minha, mas não se esqueça de mim. Eu estou morrendo. Você não vai querer isto. Eu lhe curei, você lembra? Me retribua. Me apaixonei pelo ser poderoso no qual havia uma ferida. Meus olhos brilhantes lhe fizeram bem, minha sinceridade e meu amor lhe enforteceu. Minhas lágrimas queimam meu rosto. A dor se apodera de meu corpo. Meu coração é esta ficando negro. Esta energia maligna que esta se instalando em mim. Meus olhos não são mais os mesmos. Me tire daqui antes que isso termine. Me tire antes que eu me transforme por completo. Eu me tornando em seu pior pesadelo. Há uma morta na minha frente. Ela está chorando. Ela está pedindo ajuda. Eu preciso mais que ela. Mais este meu reflexo inutil está me assombrando. A abracei. A morta tomou de minhas energias. Ela se apoderou. E agora sai caminhando. E esta lamentação não termina. Está furia imortal vai me deixar aqui no chão. Os espiritos formados pela luz da lua me dão forças negativas para que eu eu não morra. Para que após a morte eu continue viva. Agora eu danço. Faço os movimentos nos quais eles me ensinam. E esta tortura continuara. Pois nunca vou recuperar minha alma. Não sozinha. Traga minha alma para mim. Faça-me viver de novo. Recupere o amor que continha naquela alma. Meu coração era puro. E só o que tenho agora é um coração morto. Movido a promessas mentirosas, a sorrisos forçados. Movido a esta tortura que só aumenta. E a dor me consome. Sou movida pela força deles. Minha energia retirada da deusa das trevas me faz mal. Eu piso em cima destes mortos no chão. E não os desejo o mesmo destino que eu. A tantos vivos mortos. E Tantos mortos vivos.
Você sabe que tudo isso aconteceu por sua causa. Eu me sacrifiquei por você. E este sacrificio deu nisto. Não sinto meu corpo. Mas continuo dançando. Continuo dançando para os mortos. Volte aqui. Volte para meus braços. Você pode me salvar. Repito. Traga minha alma de volta. O medo está presente aqui.
Eu invejo o dominio em que os vivos tem para com seu proprio corpo.

Beijos D.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Presa em sonhos ocultos


Eu cansei de me ocultar. Eu cansei de viver sozinha, trancada naquele quarto com cheiro de livros velhos. Cansei de obter as informações e deixa-las só para mim. Eu realmente cansei de tentar não mostrar minha opnião e ficar calada diante a qualquer coisa. Eu sempre tento me ocultar de qualquer maneira, e seja o que estiver acontecendo, me trancar no meu quarto e escutar musicas e ler. Não quero mais ficar calada. Não sou muda. Mas estou como uma. E não quero mais. Não quero mais reprimir magoas e as engolilas sem poder soltar para fora. Já não conseguia mais gritar. Eu tentava, mas me acustumei com tal silencio vindo de minha própria boca. E agora, justo agora, o silencio está me deixando inquieta. Pensamentos alheios me dominam por maior parte do tempo. Meus livros já estão cheios de pó. O que é raro. Sou invadida por fortes frases em meus pensamentos, fortes lembranças e já não consigo me concentrar em mais nada. Acabo que deixo tudo para o dia seguinte.Agora é minha vez, eu quero gritar. Me deixa gritar. O mais alto possivel para que todos possam ouvir. Pois apenas aqueles, que conseguem me entender apenas olhando no fundo dos meus olhos me abraçavam. Porém, continuavam em silencio. Tudo se acumulou por tanto tempo que fiquei um longo tempo sem chorar. Até que, certo dia, eu desabei. Sem motivos. Em um abraço consolador. Não para mim. Mas para outra individua que chorava no momento. Até que lhe abraçando, uma lágrima gelada desceu em meu rosto, seguida de mais muitas delas, que não paravam. Tudo ficou preso por tanto tempo, que demorei para colocar tudo para fora. Tempo demais eu diria. Chorar é bom. Todos dizem que chorar é ruim, discordo. Ruim é o motivo pelo qual se chora. Após chorar eu sinto um certo alivio. Pois tudo que estava trancafiado vai embora. Não completamente eu diria, mas, aquela vontade incomoda de chorar do nada e não conseguir. Aquela sensação de tristeza que vem do nada. Eu gritei. Consegui gritar. Não usando minhas cordas vocais mas, usando meus olhos. Meu olhar de abandono e minhas lágrimas estavam atona. Em um lugar desconhecido, em um lugar em que não era meu. Talvez pela primeira vez, não foi no meu pequeno quarto super bagunçado com cheiro de livros velhos; Foi na frente de muita gente, foi em uma hora distinta. Do nada. Como sempre foi. Mas desta vez, foi mais inesperado do que pensei que seria. Não estava exatamente sozinha; Eu fechei os olhos, mas, escutava palavras vindas de outras pessoas. Palavras que se repetiam em minha mente fazendo me chorar mais por saber o quão boba era esta atitude de chorar quando as pessoas queriam meu bem.
Não doei tanto. A dor estava ali a tanto tempo que mal a sentia mais. Havia me acostumado com ela. Mas agora estou livre daquelas magoas, e elas não são vem vindas para voltar.Mas apartir de agora, não quero mais me ocultar. Não me interressa o que os outros vão pensar, ninguém está na minha pele para saber o que sinto, ninguém sabe como e quando cheguei a tais conclusões, ninguem sabe por que eu sou assim. Nem eu mesma sei. Mudei de repente, talvez em uma de minhas tardes vazias, no meu quarto, fazendo absolutamente nada. Apenas mergulhando em pensamentos. Ninguém sabe o que é ser eu. Então, vou simplismente ignorar criticas, mas não vou deixar de mostrar o que penso e sinto. Não vou mais guardar tudo para mim. Aquele sorriso falso, morreu.

Beijos D.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

No brilho de seus olhos



Sempre em que te vejo, tento conter minha vontade de lhe beijar. Em quanto você fala e desabafa, eu simplismente mergulho em seus olhos e tento desvenda-lo sem que você me diga se quer uma palavra. Você é um misterio a ser revelado, e isto me fascina. Eu adoro tentar entender e decifrar um homem, e você sabe disto. Eu quero você. Só isto. Mas se fosse fácil não haveria graça alguma. Eu gosto de tentar te conquistar. Eu gosto de tentar lhe seduzir. E você pode acreditar na sinceridade de meus olhos, um coração indginado e mal tratado como o meu nunca perderia a chance de se curar, e você é esta cura. Você é o unico que me faz sorrir, coisa que não fazia a muito tempo. O tempo é sempre injusto comigo. E você é o unico que faz alguns segundos serem magicos a ponto do resto do dia ficar com um brilho a mais. É no brilho de seus olhos em que me encontro, e é no seu sorriso que eu me descubro. Pois meu unico objetivo agora é ter você. Hoje, e sempre, eu sinto sua presença, eu sinto. Se você chora, eu choro, e se sorri, eu sorrio.Quando acordo, e quando vou durmir, apenas uma coisa está na minha mente. Você.



Beijos D.