Páginas

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Cicatrizando feridas


Você estava com coração ferido quando eu cheguei. E você usou meu amor para nutrir sua alma. Já estava desabando em falta de amor vinda de paixões não correspondidas, então me usou como ponto de refugio. Tomou minhas forças para você. Não apenas sugou minhas forças e foi embora, você também me levantou, também usei de seu amor para nutrir-me. Ambas partes usaram um ao outro para suprir necessidades do amor. Você pode não me amar exatamente, ser importante para você já basta. Pois não posso exigir muito de tão pouco tempo. Você encontrou refugio em mim e eu em você. Desde modo, nós nos restauramos a bases do outro, e isto foi perfeito. Como um garoto e uma garota que se encontram no acaso para curar-se. E confesso, me apaixonei. Mas pode ser que você também tenha se apaixonado. Ou não. A questão é, de qualquer maneira, me sinto feliz por ter sido útil de alguma maneira e de ter te dado apoio.No momento não consigo discernir amor de apoio e refugio. Talvez os dois, pelo menos de minha parte. Trocávamos amor a todo momento. Amor é uma palavra vazia. Muito desvalorizada e usada de forma falsa hoje em dia, mas foi real.Você se reergueu diante de minha força, salvei seu coração. Eu, por minha vez, curei minhas feridas e me apaixonei pelo garoto que acabara de salvar, você.

Beijos D.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

History - Amor de verão - Parte I



Eu estava indo viajar. Não estava nem um pouco animada. Iria ficar menos tempo na Internet e ainda teria que ficar com minha família. Peguei minhas malas e fui até o carro. Briguei com meu irmão para eu sentar na janela. Coloquei os fones de ouvido, e tentei sobreviver a cinco horas dentro daquele carro. E o pior, estava chovendo. Musica, carro, janela, chuva, tudo isto me lembrava feridas passadas que ainda doí. Chegamos lá, uma casa pequena, em uma rua vazia, perto do mar. Mas admito que gostei do ar daquela rua. Um ar fresco e vivo. Fora isto, preferia estar em casa. Havia uma família se mudando para uma casa no final da rua. Uma mulher bonita, jovem e morena, um homem com cabelos meio grisalhos, de olhos azuis e bem alto, um garoto um tanto quanto atraente com um cachorro labrador.Peguei minhas malas e entrei dentro da casa. Se alugávamos a mesma casa, todos os anos, não seria mais fácil compra-la? Nunca entendi minha família. Já haviam gasto mais no aluguel dela do que pagariam se a comprassem. Por que venho aqui desde que me entendo por gente. A rua porém, estava bem diferente da ultima vez que eu estive aqui. Coloquei as malas sob a cama e deitei.
- Luísa, levanta dai, tem muita coisa para arrumar, e depois você tem que almoçar. - Ela com o mesmo tom autoritário de sempre, nem nas férias ela relaxa. - E pode tirar as porcarias de dentro da mala, aqui você vai comer coisas saudáveis, quer ficar cheia de celulite? Nada de refrigerante também, vai ter suco todo dia, não se preocupe.
*suspiro*
Abri a mala e comecei a colocar as roupas dentro do armário. Eu vinha nesta casa a tantos anos, que as manchas de batom nele, eu que havia feito quando era bem menor. Eu estava brincando com o batom da minha mãe na época.
Dentro de casa estava um ar muito denso. Liguei o ventilador e continuei arrumando tudo. De repente, vi um papel no meio das minhas roupas. Ele voou com o ar do ventilador e foi parar em baixo do armário. Tentei a todo custo pegar aquele papel dali. E se fosse uma carta, ou algo importante? Talvez uma anotação ou folha do meu diário?
Não consegui de forma alguma pega-lo de lá de baixo, até que percebi que havia outro dentro da mala. O abri e o li. Era a letra de uma musica linda que meu ex costumava cantar para mim. Eu adorava. Aliás, meu sonho é que um garoto faça uma musica para mim e a cante-a. Ele não a fez, mas a cantava muito bem. Eu não sei como aquilo foi parar na minha mala mas, não queria saber. Tentava ignorar minha curiosidade do que teria no papel em baixo do armário, mas se fosse uma carta ou algo assim, eu mergulharia em lembranças passadas que quero esquecer, então, não tentei mais pegar o papel.
O almoço demoraria a sair, pois, minha mãe tinha muita coisa para arrumar, então fui dar uma volta. Desci a rua, fui caminhando por aí. Aquele ar desconhecido poderia me fazer bem. Tudo o que eu precisava era esfriar a cabeça. Vi uma linda rosa e estava indo em direção dela para arranca-la. No meu ponto de vista, flores só devem ser arrancadas por um motivo aparente, não devem ser desperdiçadas. E dar uma pequena alegria a uma garota completamente confusa e machucada me parecia justo. Quando estava prestes a arranca-la, alguém coloca a mão em meu ombro e eu me viro quase que automaticamente.
- Flores são especiais, mas não mais ainda quando são usadas para presentear uma garota bonita. - Disse o garoto do final da rua a arrancando-a e a entregando-a para mim. Fiquei sem reação, eu estava perdida em pensamentos quando um garoto acompanhado de um cachorro de estimação lhe para e lhe presenteia com uma rosa, isto é um tanto quanto surpreendente.
- Ah... Muito obrigada... Você mora aqui no final da rua não é?
- Sim, cheguei agora pouco, só estou levando o Pingle para passear.
O cachorro dele começou a me cheirar euforicamente, e depois a pular em mim como se quisesse brincar.
- Pare Pingle, não me envergonhe!
Cai na risada quando o Pingle, cachorro dele, sentou quieto e após cinco segundos começou a cheira-lo no meio das pernas. Ele riu também.
Ficamos alguns minutos se olhando em quanto o cachorro cheirava tudo a sua volta.
- Qual seu nome?
- Luisa e o seu?
- Brendon.

Continua...

Beijos D.

domingo, 23 de janeiro de 2011

O ultimo eclipse


Por favor não me diz que isto está acontecendo. Eu não quero dizer adeus, e a imagem do ultimo abraço não sai de minha cabeça.Não consigo parar de chorar. Tudo o que aconteceu foi magico. Mas agora eu nunca mais vou te rever. Eu estava tão feliz que esqueci que mais cedo ou mais tarde eu teria de partir. Não consigo aceitar que não vou mais ver seu rosto, não vou mais sorrir com você e que você nunca mais vai pegar em minha mão.
Você chegou e meu sol se iluminou, a solidão foi banida de minha alma. E agora você vai embora como se nada tivesse acontecido. Dois corações tomando rumos diferentes. Um passou pelo outro tão rapidamente. Passou e mudou algo dentro de ambos. Como um eclipse. Que só acontece de vez em quando, mas quando, é magico, é lindo, no emociona, e de alguma maneira, nos faz enxergar o de uma forma completamente diferente. Vemos a beleza do mundo de outro jeito.
Nos cruzamos por um momento, nos olhares se encontraram em quanto minha dor se curava. No momento em que tudo mudou. Momentos os melhores. Momentos marcantes que serão carregados por mim para sempre. Tudo continuara aqui. Como momentos se repetindo, um após o outro. Cada vez mais de pressa. Tentando analisar detalhes não observados na hora, talvez por eu estar admirando sua beleza, e olhando para seus olhos. Este eclipse acabou. Agora nos distanciamos, esperando pelo eclipse.
Só lhe suplico que não me mate. Me mantenha viva dentro de você. Mesmo que eu fique apenas em um cantinho escuro e solitário, um cantinho esquecido, mas por favor, me mantenha em seus coração.
Duas pessoas que se encontraram em um acaso. Tanta coisa aconteceu em tão pouco tempo. Somos de mundos diferentes, mas ali, naquele lugar, naquela horas, nos completamos. E agora sairemos um com um pedaço do outro. Sempre carregarei um pedaço de você aqui e vice versa. Nunca me esqueça. Quando você me disse que eu era importante para você, você se lembra? Se lembra de tais palavras? Por favor, me diz que elas não foram em vão. Diga-me que eu realmente mudei algo em você. Diga que eu te apoiei de alguma maneira. Este eclipse não passou despercebido por você, ou passou? Para mim não. Para mim tudo isto ficara para sempre. Acabou. Mas o quanto durou, eu estava feliz. E todos segundos valeram a pena. Todos os olhares. Tudo. Nunca vou me esquecer de nada. Muito menos tais palavras suas jogadas ao vento.E passou tão rápido, foi tão perfeito, que as vezes, me pergunto se não foi apenas um sonho.Sua voz um tanto quando carinhosa, baixa, dizendo-me para não chorar. E no momento em que me abraçou, vi que tudo o que eu precisava estava comigo. Você. Motivos nos quais eu chorava, já nem lembro mais. Não são importantes. Mas você é. Mesmo que um dia, eu não sinta mais nada por você, saiba que fez grande diferença para mim. Você marcou minha vida.


Beijos D.
(texto escrito ao som de Alesana-Early Morning, peço que leiam escutando esta musica, se poderem.)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Apenas por um momento


Eu me sinto mais feliz ao seu lado do que qualquer outra pessoa no mundo. Sei que ainda é um amor mantido em segredo, e você nem tem ideia, eu sonho com você. E é em você que eu penso por horas antes de dormir. Tento a cada dia me aproximar mais. Tento ter momentos nos quais vou lembrar para sempre. Tento fazer destes dias o melhores possíveis. Pois irá acabar. Mas seu abraço, por mais simples que seja, nutri minha alma e alimenta meu coração. Mesmo sem saber se você sente o mesmo por mim, o melhor lugar é para mim é no calor de seus braços. Você me entende, apesar de te conhecer a pouco, parece que te conheço a muitos anos. Em tão pouco tanto já sabemos tanto um do outro. Todos quando acordo, olho para janela imaginando se noite passada, você pensou em mim. Sempre que levanto, espero lhe encontrar aonde eu for. E isto sempre acontece. Encontros e desencontros, são constantes em minha vida. Eu estava tão ferida, e tão machucada por aquele que mais jurou me proteger, e você apareceu para cicatrizar e curar estas feridas. Não exatamente o tempo, mas você. O tempo nunca me ajudou muito. O tempo sempre para quando mais preciso que ele passe, e ele passa quando mais preciso que fique parado.

A primeira vez em que te vi, simplesmente, fixei meu olhar em você. No momento, mesmo sem perceber, um grande amor estava começando. Mas ele realmente surgiu, no momento em que trocamos as primeiras palavras, no momento em que os olhares se encontraram e desviaram logo após. No exato momento em que eu olhei fundo nos olhos, meu coração se restaurou e recuperou forças. Forças nas quais irei usar lutando por seu amor.Sei que é só por um tempo, sei que não irá durar muito, temos pouco tempo. Um amor em plenas férias, um amor de verão. Mas pela primeira vez, a vida me deu oportunidade de ser feliz apenas por um momento.


Beijos D.

domingo, 9 de janeiro de 2011

Querido,


Por muito tempo, tentei ser a garota perfeita para você. Tentei equilibrar a mulher e a menina que há dentro de mim. Tentei descongelar meu coração para entrega-lo á você. Tentei ver o mundo de um jeito só para nós dois. Tentei purificar minha alma. Tentei usar minha ingenuidade como qualidade. Tentei de todas as maneiras passar de uma rosa sem perfume, para uma com uma bela fragancia. Tentei de todas as formas ser merecedora de seu amor.
Certo dia,cresci tanto dentro de meu próprio coração que me senti livre, viva, que deixei de ser dependente de seu amor. Eu amadurece,refleti tanto diante a lembranças passadas, evolui em minha própria exencia. Libertei segredos ocultos que nem eu própria poderia enxergar. Defini sonhos e realidades. Meu coração se tornou tão puro e forte ao mesmo tempo, que você já não o merece mais. E agora percebo, que desde o inicio, quando queria me tornar ideal para você, você já não me merecia.
Me tornei tão única e verdadeira, que percebo que quem é a mentira, é você. Este amor foi apenas uma ilusão. Que serviu para que eu crescesse.
Me tornei aquilo que eu já era por dentro. a verdadeira eu que estava ocultada. Dando espaço a minha parte insegura.

Então querido, eu tentei estar a sua altura, quando na verdade, eu já estava acima e nem sabia. Nunca me menospreze. Eu e qualquer mulher, não mereço um idiota machista como você. Me tornei mulher demais para você, sem perder a eterna menina que há em mim.

Você não merece meu amor.
Bye bye querido.

Beijos D.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Perdida na imensidão da madrugada


O fim chegou. Não exatamente como eu esperava. Nada é como eu espero. Nunca foi. A única certeza que tenho é que eu ainda te amo e que você não está mais aqui. Você está muito distante. Mas se passasse pela minha frente, eu tentaria não te olhar. Pois você não merece nada de mim. Nem mesmo simples palavras. Tudo que você irá receber de mim agora é o silencio. Não que você se importe, mas eu me importo. Tento simplesmente desviar meus pensamentos de você, mas você me apunhalou, e eu nem havia percebido, até sangrar.
Sempre foi fácil para mim simplesmente ignorar, mas isto mudou. Já não consigo mais comandar meus sentimentos. E infelizmente, a ignorância sumiu. Ela que me ajudava a ceder o amor, mas parece que ele dominou. Eu sempre me apaixono pela pessoa errada, sempre me apaixono por aquele mais irá me machucar. E sem dar importância para isto. Você descartou me coração e de mais várias garotas ao mesmo tempo. Você desperdiçou todo o amor que dei. Não tente falar comigo, apesar de eu querer muito ter você, eu não posso. Você só vai despedaçar mais ainda meu coração.E no momento você tem outras vitimas. Não quero ser mais uma a provar de seu sangue e desaparecer no calar da noite. A escuridão ainda me domina e este é seu único medo. Conhecer meu lado sanguinário e sombrio. Posso ser pior do que você imagina, porém, não conseguiria machucar aqueles que mais amo. Agora eu estou fraca. Sinto que a cada momento que fico com menos energias. Preciso de força, só não sei da onde pega-la. Meu coração sente sede. Você me despedaçou, e eu continuo te querendo. Eu não entendo isto. O amor me deixa sem motivações. Apenas saio pela noite, procurando um lugar só meu. Olho para a lua e sei que nunca deveria ter saído daqui. Nunca deveria ter te conhecido. Pois as estrelas não mentem, e elas estão mais fracas do que jamais foram.
Ainda não sei o que estou fazendo aqui fantasiando algo que nunca irá existir. Minhas lágrimas estão presas aqui me sufocando. Estou ficando doente. E a culpa é sua. Você é uma doença. E esta doença já se estabeleceu por todo o meu corpo e todas as minhas veias. Dentro de mim só há você. O hoje não parece não ter fim. O amanhã está muito distante. Não vejo a hora do sol aparecer. Preciso restabelecer minhas forças que você roubou de mim. Você está se saciando de todas; e eu continuo sozinha. Aprisionada no medo de sair há luz do dia.
Não entendo como você faz isso comigo. E eu não consigo sequer fazer você se comover com minha dor que só piora.
Seus sussuros não saim de minha mente e ficam cada vez mais altos. Você parece tão proximo de mim abstratamente, e tão distante fisicamente. Mas não posso encostar em você. E mesmo que se aproximasse, você está com ela agora. Em quanto eu estou calada escutando o que vem do ar para mim. Palavras alheias que surgem em minha mente.
Eu evito dormir. Pois sempre sonho com você, sonhos surreais e apavorosos. Assim, prefiro ficar acordada em plena madrugada, olhando para o nada.

Beijos D.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Três corações sem um unico refugio


A razão pesa minha alma e a emoção escorre pelo olhos. Ao expor meu coração coloquei vitimas em risco. Meu coração inquieto agora vê as consequencias de um ato impensado. Agora choro como se o amanhã não existisse mais. E talvez não exista. Pois tudo muda tão rapidamente que nem percebo quando devo parar ou quando devo correr. Já não sei mais que papel tenho que fazer nesta grande novela. Só o que resta são lágrimas compartilhadas de uma mesma dor.Uma dor que golpeou três corações ao mesmo tempo. Tudo passa tão rápido que já nem percebemos mais quando é hora de calar-se.Apenas paro e espero por uma nova oportunidade de expor minha alma a aqueles que mais a odiaram. E a aqueles que mais a amaram. Temos pouco tempo. E nem sabemos como usa-lo.Tudo queima há minha volta. Não sai sequer um som de minha boca. A dor me calou. Para sempre. Sinto a maldição se impregnando por todo o meu corpo.Meu sangue está ficando sujo. Minha alma está ficando sombria e não sei como impedir. Tais palavras não saim do ar. Um eco pavoroso as repete o tempo inteiro e me enlouquece.Maldita seja, lamina de prata na qual ameaça duas vitimas do amor e um coração que berra por afeto. Minhas veias não merecem serem machucadas, eu sei. Tudo está vindo de dentro para fora e infectando corações alheios.Vitimas de um grande medo que não conseguiu ficar aprisionado aonde deveria. Escuridão que não aguentou a luz do sol. Que a queima e refugia. Então, ela preferiu que o sol não existisse.

Beijos D.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Feliz ano novo


Eu já não aguentava mais nada. Só o que conseguia fazer era dormir, escutar musica e olhar para o céu. Mas o ano novo é a melhor oportunidade para repensar. Como quando minha amiga me fez prometer, que, quando eu olhasse para os fogos, eu lembrasse de tudo que passamos e de todas as idiotices que vivemos, de todas as decepções e magoas. Pois o ano vira e as tristezas também. Pois daqui para frente vai ser tudo diferente. Tudo em nossa mente muda e nos continuamos iguais. O tempo passa e nós olhamos para trás e lembramos de quem nós éramos. De quem nos queríamos ser, e refletimos sobre o que somos agora. Lembramos de todas a lágrimas que derramamos, e de todos os ombros amigos nos quais você já chorou. Lembramos de todos os amores e de todas as coisas -agora bobas. que nos importava de verdade. Lemos aqueles diários super antigos, com sentimentos que não entendemos tanto agora, e com palavras desnecessárias agora, e super necessárias na época.
Resumindo, é hora de ser feliz. Ano novo vida nova como todo mundo diz. Acredite que tudo vai diferente e que você ainda tem muita historia para viver. Sorrir, é uma coisa que ninguém pode fazer por você, e não vale a pena se trancar em casa e se isolar sendo que há um lindo mundo olhando pela janela e olhando pro céu. Tente dar valor ao que mais importa. Que são as coisas simples da vida.

As mudanças só acontecem, se elas começarem dentro de você.

Beijos D.

Vivendo em uma grande mentira


A verdade é que eu vivo uma grande mentira. E por muito, muito tempo. Estava vivendo apenas de uma ilusão passageira. E a maior dor, é que eu acreditei que tudo realmente existisse. E agora que a ilusão acabou, vejo que perdi muito tempo vivendo de sonhos e lembranças passadas que ficam cada vez mais distantes. Tempo no qual eu poderia usar para fazer coisas mais uteis. Pois amor é uma palavra muito confusa.
Ouvir sua voz após saber que nada passou de um sonho foi como acordar de um conto de fadas para uma guerra entre razão e emoção. Você continua no mesmo lugar, eu também. E nada realmente aconteceu. As coisas vão e vem, os acontecimentos as vezes demoram de mais para chegar, ou te pegam de surpresa. Mas a verdade, é que este tempo inteiro, eu estava apenas parada imaginando como tudo seria, quando não existe mais nada. Pois o amor não é como uma fénix. O amor pode ficar, marcar vidas e mudar historias. Mas os fatos nunca o acompanham. É um amor completamente impossível. E demorei muito para perceber. Talvez tarde demais para evitar feridas.

Beijos D.