Páginas

sábado, 4 de dezembro de 2010

History - Uma noite inesquecivel parte IV


Parte I - Parte II - Parte III - Parte IV


- Claro que eu estou gostando de estar aqui! É que eu tava pensando... Eu acho que você não me ama de verdade só esta comigo por que não tem mais ninguém no mundo. Então como você tem eu, você se apega a mim. Mas não é amor de verdade.
- Deixa de ser bobo Dani! É claro que eu te amo. Mesmo que eu tivesse milhões de amigos em volta, iria te amar mesmo assim.
- Serio?
- Claro!
O abracei e o beijei.
Ficamos dançando ali agarradinhos por muito tempo. É difícil explicar o que senti estando em seus braços.
De repente, tocou novamente musica eletronica.
- Lindsey, agora você vai aprender. Vai deixar de dançar para sempre? - Ele começou a demostrar como se dança. Vai Lindsey, tenta aí. Não é difícil, faça igual a mim.
- Ok, vou tentar.
Fui tentando dançar como ele, fiquei muito envergonhada, eu estava dançando igual a um patinho.
- Viu, está melhorando. - Ele disse sorrindo.
Ficamos horas seguidas dançando. Já não aguentava mais meus pés, tirei os sapatos e os deixei em baixo da mesa em que nos estávamos. Tocou musica de anos 70. Isto eu sabia. Modestamente, eu arrasei. Isto sim é uma coisa que eu danço bem. Dani ficou com ciuminho quando alguns caras me convidaram para dançar, ou vieram puxar assunto. Que fofo!
Nem percebi o tempo passar. Já era quase quatro da manhã festa iria até muito mais. Mas já não aguentava. Mas temia dizer que queria ir embora. Sabia que depois dali, ele iria para casa, e eu ficaria sozinha na cidade de novo.
Certa hora, suspirei cansada.
- Está exausta não está? - Perguntou Dani.
- Sim estou.
- Quer ir?
- Mas, você vai embora. Eu não quero isto.
- Não se preocupe com isto, não vou embora agora. Pegue seus sapatos e vamos sair daqui. Iremos para outro lugar.
Fui até a mesa, e meus sapatos não estavam mais ali.
- Dani, eles sumiram.
- Alguém roubou. É óbvio que iriam roubar numa festa tão grande.
- Como vou sair daqui? De pés descalços?
Rapidamente ele me pegou no colo.
- Vai me levar assim? Não vai doer suas costas?
- Não, você não é muito pesada. E também não há nada que eu não faça por você.
- Hmm. Vai me levar no colo. Que romaaaaaantico... - Disse debochando.
Ele sorriu.
Ele me levou saiu da festa, e foi andando. Todos olhavam para nós. Também não é todo dia que se um homem carregando uma mulher no colo no meio da rua.
Ele parou na frente de uma cafetaria, entrou, meu largou em um banco, e sentou em um na frente. Tomamos uma café, e ficamos um tempo nos olhando.
- Por que estamos aqui Dani?
- Tenho que te dizer uma coisa.
- Diga.
- Eu falei que não há nada que eu não faça por você não é?
- Sim.
Ele se levantou, e se ajoelhou na minha frente. Todo mundo na cafetaria ficou olhando.
- Lindsey, eu te amo muito. Você aceita morar comigo? - Ele gritou para todo mundo ouvir. As pessoas dali começaram a olhar atentas.
Inicialmente, fiquei sem reação. Realmente fiquei muito surpresa. Dei um belo sorriso e disse:
- É claro que sim! Eu te amo! Vou com você para qualquer lugar!
Todo mundo começou a aplaudir. Nós nos abraçamos, e ele me pegou no colo novamente, deixou o dinheiro dos cafés em cima da mesa e saiu dali.
- Para onde nós vamos agora?
- Para minha casa. Você vai ficar lá hoje, e amanhã você vai pegar suas coisas em sua casa.
Ele foi até um ponto de táxi, abriu a porta de um me soltou ali dentro e entrou.
- Você esta levando a moça no colo? Primeira vez que vejo isto. - Disse o taxista rindo.
- Eu faria isto só por que amo ela. Mas no momento, roubaram os sapatos dela. - Fiquei vermelha.
Dani indicou para o taxista o lugar aonde ele deveria nos levar. Depois de um tempo. O taxista parou. Dani o pagou, e pegou no colo novamente -estava me sentindo uma barbie-, e me levou ate a porta.
- Bem vinda ao meu novo lar. - Disse ele abrindo a porta.

Continua ...

Beijos D.

2 comentários: