Páginas

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Apenas um erro


Eu cansei. Você se decepcionou eu sei, mas não ficou tão brava com ele quando ele fez o mesmo. Ele pode ter mudado, pode me amar, mas eu também o amo, também mudei algumas coisa em mim, e mesmo assim, ele me magoou. Por que não posso ter minha chance de errar? Eu preciso sempre ser a perfeita? Todos erram, choram, erram e não tão nem aí, ou se arrependem, e por que quando eu erro, você se revolta? Não é por que eu vejo o mundo diferente, não é por que eu sempre tenho algo de amor para dizer, na hora certa, não é por que eu sempre levo o amor mais pela razão do que pela emoção, que eu não posso errar. Eu vivo de impulsos você sabe disto. naquele momento eu não estava exatamente consciente. Quem estava tomando conta de meus pensamentos não era eu. D: Não tente me aprisionar ou me castigar, eu não preciso estar certa sempre. Não posso errar as vezes? Não queria ferir o coração de ninguém, não queria ver ninguém machucado e muito menos empurrar alguém para o maldito buraco de sofrimento. Estavam me pressionando de todos os lados. Eu não faria nada, apesar da pressão, eu tenho consciência das coisas, eu sigo meu coração e não os dos outros. Minha cabeça estava em outro mundo e eu estava fazendo tudo errado. E de todas as pessoas, você foi a unica que se decepcionou. Não por que você é a certinha demais ou por que diz para eu não fazer as coisas ruins, quando você faz. Você ficou assim por que você se importa comigo, você sabe que você é uma alegria para mim e que sem você eu não seria nada. Mas assumo. Eu não estou me sentindo culpada. Não sei se deveria, mas não estou. Ele já estava quase me abandonando, o tempo passou, as feridas se cicatrizaram e agora não sinto culpa por nada que eu fiz. Você está certa, ele não me merece. Mas eu falei isto desde o inicio. Na verdade, nós dois não nos merecíamos. Por que era o amor e idiotice juntas. Não venha dizer também, que eu fui a única que errei. Eu sou idiota e principalmente ignorante. Eu o avisei desde de o inicio. Você sabia que isto iria acontecer. Você sabe, eu sou muito liberal. Não aguento ficar presa. E ele me prendia tanto, que me espremia. Eu ficava sufocada e quase sem ar. Eu não consigo viver assim. Desculpa por ter te deixado assim. Não era minha intenção. na verdade, nada era minha intenção. Eu agi no impulso, não foi nada combinado. Sei que não sou santa, mas também não mereço ser punida.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário