Páginas

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Nunca acaba


A verdade é que eu não quero te esquecer. Pois você é parte de mim. Se eu te esquecer, um pedaço de mim será arrancado e uma razão de vida vai pro ar.Tudo começou e acabou muito rapido. Praticamente não acabou. O amor continua vivo aqui dentro. Mas está morto em você. As vezes me da vontadede arriscar e ter você apenas um vez. Mesmo sabendo que estaria me enterrando viva. Mesmo sabendo que isto faria você ficar mais forte em meus pensamentos. Mesmo sabendo que eu iria me machucar.
As vezes tudo o que eu quero é fugir para o mais longe possivel. Para tentar fugir daquilo que me lembra você. No caso, tudo. Os meus cantos favoritos da casa aonde eu custumava pensar em você, tudo, tudo tudo. Mas se eu fugir, estarei perto de você nos pensamentos. Nenhuma distancia faz você se afastar de minha mente.
Quero muito mudar de amor. Queria muito algo que desse certo. Mas parece que nunca acaba. Parece que não tem um fim concreto. Pois meu coração teima em te manter ali. Ninguem entra e ninguem sai. Só o que posso fazer agora é me orgulhar por conseguir me manter firme. Tudo é sempre igual.

Beijos D.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Tudo de novo


Fico aqui refletindo, como as coisas do passado continuam presentes em meu imenso futuro. O amor é muito egoísta com os outros sentimentos. Quando as borboletas estão soltas, queremos que elas voltem. Quando elas estão presas aqui, queremos solta-las. Os sofrimentos do passado e os amores estão acumulados aqui, e ficarão para sempre. Por isso que mesmo em situações felizes, ficamos tristes e mal humoradas.
Pensei que fosse fácil apagar lembranças do passado. Pensei que fosse fácil amar. Pensei que eu poderia recolher as borboletas quando eu quisesse. Eu estava completamente errada. Pois a vida não é tão simples como eu imaginava. Todas nós somos garotas diferentes. E por isso, somos todas iguais. Você deve ter pensando que duvida que outras garotas te entendam ou saibam o que está passando. Pois elas sabem. A maioria.
Queria poder te esquecer com um piscar de olhos, como fiz outra vez. Mas a verdade é que não ouve outra vez, eu continuei te amando, apenas não sabia disto. É incrível como o amor nunca morre, ele apenas se afasta e volta muito mais poderoso. Queria ao menos te dar um ultimo beijo. Queria no mínimo poder estar perto de você, mesmo que você não quisesse, queria apenas te olhar. Pois meu coração pulsaria forte e por alguns instantes, eu voltaria a viver. Queria apenas um momento para lembrar. Minhas lembranças passadas estão embasadas, e as lembranças nas quais queria descartar, estão bem claras em minha mente, e voltam o tempo inteiro, repetidamente. Tento evita-las, mas não consigo. A ferida não cicatriza. E quanto mais feridas sofro, mais elas demoram para cicatrizar. E quando eu paro, meus pensamentos não fogem de você. E a cada segundo que me lembro que você está longe, a dor aumenta, e a ferida fica cada vez maior. Pois eu vivo em um mundo de sonhos, pensamentos e palavras em um diário idiota fechado a sete chaves. Mas os segredos não ficam trancados ali. Ficam trancados em minha garganta.

Tudo é sempre igual.
Olhares-Paixão-Sorrisos-Love- Mais love- Lágrimas- Buraco de sofrimento- Mais lágrimas

Beijos D.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Vida sem um maldito rumo


Por que naquela manhã cuja foi a pior de minha vida, eu não fiquei em casa, na cama, pensando na vida ou dormindo? Eu estraguei tudo eu sei. Nunca chorei tanto. Me tornei tudo aquilo que eu nunca quis ser. Fiz tudo que eu rotulava ''errado'', e quebrei todos meus discursos moralistas. Eu te abandonei. Depois de tanto dizer que estaria sempre ao seu lado. Agora terei de seguir minha estrada sem você, por uma idiotice minha. Agora você está tão distante... Provavelmente me odiando.Estou aqui sozinha agora, pois eu te magoei. Eu sinto muito, não estou esnobando seu amor por mim. Mas não era eu. Me arrependo muito agora. Pois eu te amo. E não sou a mesma sem você. É muito ruim te ver e não escutar um 'eu te amo' ou saber que você já não é mais meu. Agora estou aqui isolada, como sempre fico, e como sempre vou ficar. Por que nunca acaba. A vida trás surpresas repentinas, e em seguida. Isto abala todos os meus sonhos.Eu nunca consigo que um sorriso dure muito tempo. No mesmo dia, eu iria poder olhar em teus olhos e tocar em teus lábios, mas a sociedade que tem intenções erradas eu confiava em certas pessoas que me decepcionaram. Me assusto em ver como as pessoas são. E me assunto também ao ver quem eu sou. Não exatamente, mas o que sou em alguns momentos.Acordo sempre sem saber quem sou. Sem lembrar direito o que fiz ontem e sem saber o que vou fazer amanhã. Não sei como não pensei nas consequencias, não sei como fui cruel a este ponto.Não me lembrava direito, mas quanto mais eu lembro, mais me arrependo de ter me levantado mais cedo naquela manhã. Agora estou sem você, e estou sozinha. As vezes tenho vontade de correr para longe e nunca mais ver ninguém. Nunca vou me esquecer de suas palavras. Fico aqui aprisionada diante a tal tristeza. E dita cuja não poupa visitas. Você estará vivo em meu coração para sempre. Mas depois de muito tempo, isto teve um fim. E infelizmente, não foi exatamente o que eu sonhava. Muito menos quando a culpada sou eu. Vou viver me punindo para sempre. Quando todos se revoltam diante a mim, você é que mais me importa, e você nem quer mais olhar em minha cara. Tudo que eu queria era poder te ver novamente. Isto quase aconteceu, mas eu estraguei tudo.

Fico imaginando como você esta sem mim. E fico imaginando também, como será minha vida apartir de agora. Pois como você disse, não tem mais volta. Tudo teve um fim. Um fim muito doloroso. Pois sinto a dor a cada lágrima que cai. Você esta muito longe, mas está mais longe ainda de meu coração. Pois você não me quer por perto. Não mais. Tudo desmoronou em cima de mim. E a culpada sou eu. Como sempre. Eu não presto, nunca tive duvidas disto. Mas não pensei que tal coisa aconteceria. Pois saiba, que apesar de tudo que eu fiz, eu sempre vou te amar, eu sempre fui um fantasma eu sei, mais era um fantasma que te amava e vivia por você, um fantasma que era dividido entre a vida e o além apenas por seu amor, apesar de não poder lhe tocar. Agora estou mais morta do que viva. Vou sentir saudades de tudo o que aconteceu, mas o que mais doí, é saber que você duvidava de meu amor. Agora estou doente. Infelizmente insto não é um pretexto para fugir da vida. Não agora. Apenas pequenos laços me mantém aqui. Pois vou ficar sem você, para sempre. E não sei como vou aguentar isto. Você esta lá, mas se estivesse aqui, não trocaria uma palavra comigo. E este silencio doí. Demais. Meu coração queima a ponto de se destruir. Meus pensamentos são sempre você. E o mais cruel é saber que você me odeia agora. Preferia que você se fosse me amando, mas você se foi me odiando, por algo que eu fiz, a única coisa que eu queria neste momento era você.
Pois o dia que mudaria minha vida, que eu ficaria feliz, eu fiz o contrario. Isto sempre acontece. =/
Nada nunca dá certo, e a culpa quase sempre é minha.
Eu destrui minha própria vida. De novo.

agora, é o futuro do passado. E no passado, nunca pensei que tudo terminaria assim.

Beijos D.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Apenas um erro


Eu cansei. Você se decepcionou eu sei, mas não ficou tão brava com ele quando ele fez o mesmo. Ele pode ter mudado, pode me amar, mas eu também o amo, também mudei algumas coisa em mim, e mesmo assim, ele me magoou. Por que não posso ter minha chance de errar? Eu preciso sempre ser a perfeita? Todos erram, choram, erram e não tão nem aí, ou se arrependem, e por que quando eu erro, você se revolta? Não é por que eu vejo o mundo diferente, não é por que eu sempre tenho algo de amor para dizer, na hora certa, não é por que eu sempre levo o amor mais pela razão do que pela emoção, que eu não posso errar. Eu vivo de impulsos você sabe disto. naquele momento eu não estava exatamente consciente. Quem estava tomando conta de meus pensamentos não era eu. D: Não tente me aprisionar ou me castigar, eu não preciso estar certa sempre. Não posso errar as vezes? Não queria ferir o coração de ninguém, não queria ver ninguém machucado e muito menos empurrar alguém para o maldito buraco de sofrimento. Estavam me pressionando de todos os lados. Eu não faria nada, apesar da pressão, eu tenho consciência das coisas, eu sigo meu coração e não os dos outros. Minha cabeça estava em outro mundo e eu estava fazendo tudo errado. E de todas as pessoas, você foi a unica que se decepcionou. Não por que você é a certinha demais ou por que diz para eu não fazer as coisas ruins, quando você faz. Você ficou assim por que você se importa comigo, você sabe que você é uma alegria para mim e que sem você eu não seria nada. Mas assumo. Eu não estou me sentindo culpada. Não sei se deveria, mas não estou. Ele já estava quase me abandonando, o tempo passou, as feridas se cicatrizaram e agora não sinto culpa por nada que eu fiz. Você está certa, ele não me merece. Mas eu falei isto desde o inicio. Na verdade, nós dois não nos merecíamos. Por que era o amor e idiotice juntas. Não venha dizer também, que eu fui a única que errei. Eu sou idiota e principalmente ignorante. Eu o avisei desde de o inicio. Você sabia que isto iria acontecer. Você sabe, eu sou muito liberal. Não aguento ficar presa. E ele me prendia tanto, que me espremia. Eu ficava sufocada e quase sem ar. Eu não consigo viver assim. Desculpa por ter te deixado assim. Não era minha intenção. na verdade, nada era minha intenção. Eu agi no impulso, não foi nada combinado. Sei que não sou santa, mas também não mereço ser punida.

Beijos D.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Perdidos em um grande futuro


Não consigo mais viver longe de você. Não sei o que você pensa, não sei como pensa, e não sei como age ou queria agir. Mas eu sinto sua falta. Meu coração doente precisa de sua presença. Realmente não sei se você é o certo ou o errado, se cuidar de você irá fazer eu morrer, de novo.
Não aguento mais ficar aqui sentada, escutando estas musicas ridículas -que fazem todo sentido quando estamos apaixonadas. Eu não sei quanto tempo eu ainda vou aguentar. Eu estou sendo forte, pelo menos estou tentando ser. Mas esta muito difícil. Está frio lá fora. Mas meu coração queima aqui dentro.
Eu preciso de uma saída. Não ver o brilho de seus olhos é como não ver a luz do sol. Precisamos desta luz para viver, se não morremos com o coração negro e lágrimas de sangue. Eu sei que está sendo difícil, mas não desista. Precisamos tentar, por favor. Não me deixe agora. Eu não tenho sua força, não consigo continuar. Eu imploro. Quando você me achou, eu estava perdida nestas estradas, sem rumo. Indo pelo caminho errado. Eu estava sem futuro, completamente só. Eu já não sorria a muito tempo, já não comia e não tinha forças para me levantar. Quase não tinha forças para pedir socorro. E você me salvou. Me tirou do imenso buraco de sofrimento e me trouxe a vida, quando eu já estava quase morta. Agora que estamos ficando sem forças juntos, não desista. Não me deixe agora. Vai me deixar em pior situação do que quando me encontrou. Acharemos uma saída meu amor. Fique aqui. Sugue minhas forças e depois apenas me carregue. Pegue toda a força que precisar. Sou inteiramente sua, apenas não me deixe aqui jogada na estrada. Nós chegaremos até o fim. Se é que ele existe. No momento em que você retirar minha vida pra você, eu recuperarei minhas forças por saber que você esta vivo. As lágrimas que descem de meu rosto não mentem. Minhas veias pulsando confirmam que ainda tenho um sinal de vida, e que ainda resta esperança. Apenas não saia de meu lado. Com você eu conseguirei, tenho certeza. Pois minha força vem de você. Nós nos salvaremos assim como você me salvou. Segure forte em minha mão e vamos. Pode ser devagar, mas vamos. Siga em frente, comigo. Eu prometo não te deixar. Mas não me deixe também. Não preciso de mais nada, só de você. Não precisa acreditar que vamos conseguir, basta confiar em mim.

Beijos D.

domingo, 19 de dezembro de 2010

History - Uma noite inesquecivel Parte V -final-


Entramos. Eu estava muito nervosa. Porém, muito feliz. Ele viveria comigo. E nos passaríamos a nossa primeira noite de amor.
Fui até o quarto entre passos infalsos e sentei-me na cama. A casa estava cheia de caixas e com poucos móveis. Porém já estava com algumas coisas que indicavam que ele estava aqui a uns dois dias preparando tudo. Haviam velas acesas, pétalas de rosa pelo chão, tudo lindo.
Daniel sentou-se ao meu lado em cima da cama. Começou a acariciar meus cabelos e disse:
- Você sabe que eu esperei muito por esta noite não é...
Deu um enorme sorriso como se dissesse 'também'.
- É um sonho que se tornou realidade. Eu amo você Lindsey. - Ele chegou mais perto e me beijou.
Deitamos e ficamos ali, juntos, a noite inteira. Até que adormecemos.

Amanheceu. De repente acordo e sorrio. Eu estava nos braços do homem no qual eu mais amo neste mundo. Fechei os olhos por alguns momentos sentindo a pele dele.Fiquei apenas o observando em quanto ele dormia. Lindo.
Ficava imaginando, com o que ele estava sonhando. Devia ser cedo, eu conseguia ouvir os passarinhos cantando e sol bem fraquinho tocando meu rosto.
Apoiei a cabeça sob seu peito e fiquei escutando o seu coração. Batia fortemente. O meu também. Era uma sensação maravilhosa acordar com ele.
- Eu te amo Dani... Eu te amo... - Disse, acariciando sua face.
Ele abriu os olhos devagar e olhou fixamente para os meus.
- É otimo acordar com você falando que me ama. - Disse ele esbanjando um enorme sorriso.
O abracei forte. Pois naquele momento, ele era meu. Estava comigo. E nada mais importava no mundo inteiro. Lá fora tudo poderia explodir, eu iria continuar aqui nesta imensa felicidade. Era até difícil de acreditar que isto realmente estava acontecendo, depois de tantas lágrimas e sofrimentos.
Puxei a coberta e me enrolei nela. Levante-me e fui me vestir. Dani continuou ali me observando. Após me vestir, fui até a cozinha e fiz algumas torradas. Não havia muita coisa ali. Foi só o que deu para fazer. Ele havia recem se mudado. Fui até o quarto e levei uma delas até ele.
- Você será uma otima esposa. - Disse ele debochando.
Dei uma risada e sentei-me com ele.
- Hoje você vai em sua casa pegar suas coisas ok?
- Ok.
- Será que sua mãe vai ficar muito brava?
- Acho que não. Quando filhos e pais brigam, os filhos fogem, isto eu já vou fazer mesmo. - Eu disse rindo.
Depois de ficarmos ali por um tempo, ele se vestiu, e nós fomos até minha casa.
- Oi mãe.
- Não sabia que você ia passar a noite fora. - Dani entrou logo em seguida. Quem é este rapaz Lindsey?
- É meu namorado. E agora eu vou morar com ele.
- O que!? Eu nem sabia que você estava namorando!
- Não importa o que você diga, eu vou. - Eu disse indo em direção ao meu quarto.
Peguei minhas malas e comecei a colocar minhas coisas nela. Depois de tudo pronto, fui embora. Ignorei completamente minha mãe.
Chegando em nossa casa, coloquei minha malas em um canto. Dani me puxou para seus braços e disse.
- Agora você é minha... Obrigada senhor... - Ele disse olhando para mim após para o céu. Eu via o brilho sincero de seus olhos.
- E você é só meu. - Disse sorrindo.
- Agora você vai terminar a faculdade, eu vou trabalhar, até já consegui o trabalho aqui. E você será minha mulher.
O abracei o beijei. E desde a festa, até a virada da noite, foi o melhor dia da minha vida. Pois só ele fazia eu me sentir viva.

Fim.

Beijos D.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Tão proxima de mim


Hoje, chorei. De novo. Não, não foi por causa daquele idiota da linda voz. Não desta vez. Hoje chorei por me dar conta de que já não sabia mais pelo que chorar. Eu nunca havia parado para pensar que antes eu não chorava. Claro que já pensei. Mas não com está profundidade. Eu não entendo. Não importa o que eu faça, o mundo não gira. Fico aqui sentada, em meio a uma ventania anormal. No mesmo lugar de sempre, com as mesmas duvidas, com os mesmos sonhos, olhando para as mesmas árvores. No final. Tudo é assim, sempre foi, e sempre vai ser. Passados doloridos, presente com lembranças toscas e confusas, e um futuro, em breve, sofrido. No fundo eu sempre fui assim. Minhas mudanças não me fazem diferente de antes. Me fazem mais igual ao que eu sempre vi do mundo. Diferente, com medo, e que vive entre palavras. Confesso. Vivo palavras inúteis que no contexto se formam minhas lembranças de minha vida. Que daqui a alguns meses, acharei idiota. De novo.
Não me envergonho de carregar uma lágrima. Me envergonho de ter medo de chorar. Porque minha palavras e textos são jogadas ao ar, minha lágrimas, ao chão. Mas meu coração está aqui. E estará para sempre. Não devo temer mostra-lo. Mostrar meus sentimentos, para os outros, inútil. É muito difícil ser uma garota como eu hoje em dia. Nos tempos de hoje, lágrimas não são validas, sentimentos é coisa de criança e meus cadernos são ''diários idiotas, com esperanças bobas''. Pois eu discordo. O que seria do mundo se ninguém tivesse sentimentos para mostrar? Seria um mundo frio e melancólico.

É estranho saber que tudo mudou. Tudo muda e tudo sempre vai mudar. Mas que no fundo. Sempre fomos quem somos. Apenas não sabiamos disto.

Beijos D.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Não grite


Não grite seu idiota
Sei que minha dor está te corroendo
Mas não grite
Estou mais sanguinário que costumava ser. Estou piorando
Não grite
Apenas vá embora, você sabe que deve

Seus gritos me deixam com mais raiva
O sofrimento acumulado é despejado em você
Você sabe que deve. Vá
Estou acostumado a viver sozinho
Estou acostumado a ter que fugir para proteger quem amo

Não grite seu idiota
Sei que minha dor está te corroendo
Mas não grite
Estou mais sanguinário que costumava ser. Estou piorando
Não grite
Apenas vá embora, você sabe que deve

Apenas vá embora. Não faça perguntas
Me solte; Você sabe que vai adoecer aqui
Vá logo; Você sabe que está morrendo
Vá em silencio, seus gritos de socorro me fazem enlouquecer

Seus gritos esperançosos então me deixando com raiva
Não me deixe ouvi-los
Vá embora (em silencio)
Aqui é um buraco profundo e sem volta

Não se aprisione aqui
Não vale a pena
Não tente mudar as trevas
Cale a boca antes que as sombras façam isto por você

Fuja daqui (x3)

Aqui você viverá em um vazio
Meu coração frio irá te adoecer
Vá embora.
Você tem esperanças demais. Fuja com elas
É impossível salvar a morte. Não insista

Não grite seu idiota
Sei que minha dor está te corroendo
Mas não grite
Estou mais sanguinário que costumava ser. Estou piorando
Não grite
Apenas vá embora, você sabe que deve

Seus gritos me deixam com mais raiva
O sofrimento acumulado é despejado em você
Você sabe que deve. Vá
Estou acostumado a viver sozinho
Estou acostumado a ter que fugir para proteger quem amo

Vá embora em quanto há tempo
Você não vai gostar de se tornar um de nós
Vá embora em quanto há tempo
Você não vai gostar de se tornar um de nós

Não insista, vá, você sabe que deve (x2)

Vá antes que seja tarde de mais...

Beijos D.

(tentei fazer uma musica qq )

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Aquele idiota


Por que os homens agem assim conosco? Hoje acordei, e percebi que estava com os fones de ouvido. Lembrei-me então que dormi entre lágrimas e musicas melodramaticas. Fui até a janela e olhei diretamente para o céu. Nublado. Muito vento e e um clima muito triste. Por que em dias ruins ou o dia está sempre feio ou bonito demais? O canto dos pássaros me irritavam. Som no qual só valorizo quando estou feliz. Não tinha nem lembranças felizes. Queria ser feliz. Nem que fosse por um momento. Sei que não é indicado viver de lembranças. Mas é melhor viver de momentos passados que não ter nenhum sorriso para lembrar. A raiva me dominou. Fui abandonada por quem eu mais confiava. Por quem mais jurava me proteger. Meu manto protetor foi quebrado. Eu estava fraca. Fraca demais. Não tinha forças nem para chorar. Tudo estava acumulado. Provavelmente irei desabar diante de alguma coisa idiota futuramente. Em quanto isto, está tudo entalado aqui. Me sentia aquelas emos depressivas que se jogam em um canto e ficam lá. Esperando não ser cutucada por ninguém.

Nada nunca dá certo. Eu não consigo mais respirar. Sabe no inverno quando você respira e seu nariz doí? É isso o que acontece. Cansei de respirar. Se eu respirasse felicidade no mínimo.
Nunca fico feliz por muito tempo. Vivo entre altos e baixos. Por que tantas pessoas são felizes e eu não consigo tal felicidade?

Querido garoto idiota no qual me magoou. Morra. Espero do fundo do meu coração que você se arrependa e sofra. É isso que você merece.
Os homens tem que se apaixonar um dia. E quando isto acontecer com você. Que esta garota, faça com você, o que você faz com todas nós.

'' Falo do pavor que a domina quando ela se vê abandonada por aquele que jurou protege-la. - Adolphe ''
(peguei a frase do livro Le divorce)

Beijos D.

sábado, 4 de dezembro de 2010

History - Uma noite inesquecivel parte IV


Parte I - Parte II - Parte III - Parte IV


- Claro que eu estou gostando de estar aqui! É que eu tava pensando... Eu acho que você não me ama de verdade só esta comigo por que não tem mais ninguém no mundo. Então como você tem eu, você se apega a mim. Mas não é amor de verdade.
- Deixa de ser bobo Dani! É claro que eu te amo. Mesmo que eu tivesse milhões de amigos em volta, iria te amar mesmo assim.
- Serio?
- Claro!
O abracei e o beijei.
Ficamos dançando ali agarradinhos por muito tempo. É difícil explicar o que senti estando em seus braços.
De repente, tocou novamente musica eletronica.
- Lindsey, agora você vai aprender. Vai deixar de dançar para sempre? - Ele começou a demostrar como se dança. Vai Lindsey, tenta aí. Não é difícil, faça igual a mim.
- Ok, vou tentar.
Fui tentando dançar como ele, fiquei muito envergonhada, eu estava dançando igual a um patinho.
- Viu, está melhorando. - Ele disse sorrindo.
Ficamos horas seguidas dançando. Já não aguentava mais meus pés, tirei os sapatos e os deixei em baixo da mesa em que nos estávamos. Tocou musica de anos 70. Isto eu sabia. Modestamente, eu arrasei. Isto sim é uma coisa que eu danço bem. Dani ficou com ciuminho quando alguns caras me convidaram para dançar, ou vieram puxar assunto. Que fofo!
Nem percebi o tempo passar. Já era quase quatro da manhã festa iria até muito mais. Mas já não aguentava. Mas temia dizer que queria ir embora. Sabia que depois dali, ele iria para casa, e eu ficaria sozinha na cidade de novo.
Certa hora, suspirei cansada.
- Está exausta não está? - Perguntou Dani.
- Sim estou.
- Quer ir?
- Mas, você vai embora. Eu não quero isto.
- Não se preocupe com isto, não vou embora agora. Pegue seus sapatos e vamos sair daqui. Iremos para outro lugar.
Fui até a mesa, e meus sapatos não estavam mais ali.
- Dani, eles sumiram.
- Alguém roubou. É óbvio que iriam roubar numa festa tão grande.
- Como vou sair daqui? De pés descalços?
Rapidamente ele me pegou no colo.
- Vai me levar assim? Não vai doer suas costas?
- Não, você não é muito pesada. E também não há nada que eu não faça por você.
- Hmm. Vai me levar no colo. Que romaaaaaantico... - Disse debochando.
Ele sorriu.
Ele me levou saiu da festa, e foi andando. Todos olhavam para nós. Também não é todo dia que se um homem carregando uma mulher no colo no meio da rua.
Ele parou na frente de uma cafetaria, entrou, meu largou em um banco, e sentou em um na frente. Tomamos uma café, e ficamos um tempo nos olhando.
- Por que estamos aqui Dani?
- Tenho que te dizer uma coisa.
- Diga.
- Eu falei que não há nada que eu não faça por você não é?
- Sim.
Ele se levantou, e se ajoelhou na minha frente. Todo mundo na cafetaria ficou olhando.
- Lindsey, eu te amo muito. Você aceita morar comigo? - Ele gritou para todo mundo ouvir. As pessoas dali começaram a olhar atentas.
Inicialmente, fiquei sem reação. Realmente fiquei muito surpresa. Dei um belo sorriso e disse:
- É claro que sim! Eu te amo! Vou com você para qualquer lugar!
Todo mundo começou a aplaudir. Nós nos abraçamos, e ele me pegou no colo novamente, deixou o dinheiro dos cafés em cima da mesa e saiu dali.
- Para onde nós vamos agora?
- Para minha casa. Você vai ficar lá hoje, e amanhã você vai pegar suas coisas em sua casa.
Ele foi até um ponto de táxi, abriu a porta de um me soltou ali dentro e entrou.
- Você esta levando a moça no colo? Primeira vez que vejo isto. - Disse o taxista rindo.
- Eu faria isto só por que amo ela. Mas no momento, roubaram os sapatos dela. - Fiquei vermelha.
Dani indicou para o taxista o lugar aonde ele deveria nos levar. Depois de um tempo. O taxista parou. Dani o pagou, e pegou no colo novamente -estava me sentindo uma barbie-, e me levou ate a porta.
- Bem vinda ao meu novo lar. - Disse ele abrindo a porta.

Continua ...

Beijos D.