Páginas

sábado, 27 de novembro de 2010

History - Uma noite inesquecivel parte I


Parte I - Parte II - Parte III - Parte IV -

Meu nome é Lindsey, tenho 17 anos e vou contar como foi a melhor noite da minha vida. Eu amava um garoto chamado Daniel, o Dani. Eu namorava com ele virtualmente e já não aguentava mais ficar longe dele. Acordava todos os dias querendo vê-lo. Eu tinha muitos problemas em casa com minha mãe, minha melhor amiga havia tentando beijar meu ex namorado o Guilherme e ainda me disse coisas horríveis depois. Não somos mais amigas. Estou praticamente sozinha no mundo. Só tenho o Dani. Passo horas no computador teclando com ele e fico muito triste quando ele não entra no notebook dele. A vida dele é perfeita, tem os pais super compreensivos e liberais, muitas garotas lindas que sonham em namora-lo e muitos amigos. Porém, ele é apaixonado por mim. Que moro em outra cidade. Nosso sonho é um de nós se mudar de cidade para agente namorar e depois de um tempo casar se der tudo certo. Ele quer que eu me mude, já que não tenho nada aqui mesmo. Mas eu não tenho coragem.

Certo dia, ele me ligou e disse que viria para cá, e me convidou para ir há uma festa aqui da cidade na qual havia comentado com ele que queria ir, mas não sozinha. Fiquei muito ansiosa até o dia da festa. Mas ainda faltava duas semanas. Eu peguei um calendário e coloquei na minha cabeceira. Todo dia quando eu acordava, eu riscava um dia. Praticamente contava as horas para vê-lo. Pois ele era tudo que me importava no momento. Tentava me distrair nestas duas semanas, mas não pensava em mais nada fora a festa. Eu não via a hora de beija-lo, de fazer carinho nele, e o abraçar muito forte. Não via a hora de ver aqueles lindos olhos verdes olhando bem fundo nos meus olhos.
Na faculdade, eu fazia tudo muito rápido e com euforia para que o dia acabasse logo. Assim seria menos um dia para a festa. Porém, as vezes esquecia completamente de tudo e ficava imaginando como seria. Assim, levei várias advertências. Um dia antes da festa eu liguei para ele muito feliz e morrendo de nervosismo, querendo muito que a noite caísse e que amanhecesse.
- Oi, Dani?
- Oi Lindsey! Como é bom ouvir sua voz.
- Também é muito bom ouvir a sua.
- Dani, te amo.
- Eu também te amo. E muito. Não vejo a hora de pegar o onibus e ir para aquela festa com você.

- Eu também. Eu estou contando as horas para te ver.
- Eu também meu amor, eu também.

- Dani... Diz que me ama? Pessoalmente?

- Claro que sim Lindsey, eu já iria fazer isto mesmo que você não pedisse.

Ficamos conversando por horas. Até que quando dei por mim, já era quase madrugada. Desliguei o celular, e fui dormir. Porém, o sono não vinha. A ansiedade era muita. Quando acordei de manhã, dei um pulo da cama, e com muita felicidade risquei o dia da festa no meu calendario.

Eu estava tão ansiosa que comecei a me arrumar as 14:20 da tarde. Fui para o banho, demorei quase uma hora. Fui para o quarto e experimentei milhões de combinações de roupas, até achar a melhor. Coloquei um vestido preto brilhante e um sapato preto muito bonito, com o salto não tão alto por que iria dançar a noite inteira. Fui para frente do espelho e liguei o secador, usei, e logo após a chapinha. Fiquei muito tempo arrumando o cabelo. Depois peguei minha caixa de maquiagens e começei a me maquiar. Vendo que eu não estava conseguindo uma make bonita, tirei o vestido, coloquei um jens e uma camisa e fui para o salão, isto umas 16:30.

Fiquei muito tempo por lá. Fiz a maquiagem, as unhas, esfoliação, hidratação nos cabelos e um penteado lindo. Muito melhor do que eu havia feito em casa. Gastei fortunas lá, mas valia a pena. Eu iria encontrar o amor da minha vida, eu tinha que estar perfeita.
Sai de lá as 19:10, fui para casa, vesti o vestido, o sapato, coloquei brincos, um anel de prata, e um colar escrito love. Peguei minha bolsa e coloquei as coisas dentro, chaves, maquiagem, dinheiro, celular, alguns cicletes e etc. Fui para o banheiro, escovei os dentes até eles ficarem devidamente brancos. Dei uma olhada rápida no espelho de corpo inteiro da sala para ver se estava tudo ok, e chamei o taxi.

Ele chegou depressa, eu entrei nele e liguei para o Dani:

- Já estou saindo de casa. - Falei sorrindo.
- Eu já sai faz tempo - Ele deu uma risadinha. Já estou quase chegando.

Deliguei o celular e dei um sorriso que mal cabia no rosto. Eu estava muito feliz. E muito nervosa também. Quando o taxi chegou, eu desci , paguei e entrei na festa, havia muita gente, tentei localizar o Dani.

Continua...


Beijos D.

4 comentários:

  1. Porque é que escritores adoram parar em partes marcantes? UASHUAHS Na verdade eu sei, é muito bom ver a ansiedade dos leitores por continuação. Também escrevo, sei como é. Mas também sou leitora a curiosidade é a mesma. Esperando a continuação... Está ficando ótima.

    ResponderExcluir
  2. verdade KJSHADKJAHSKJ

    postarei em breve linda *-*

    ResponderExcluir
  3. AAHH TO ANSIOSA PRA SABER O RESTO *000*
    Ameii , so espero que nao aconteca uma tragediia :'//

    ResponderExcluir
  4. nao acredito que voce parou na melhor parte OISAOISOISAOISAOISA

    ResponderExcluir