Páginas

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Coração de vidro


Por que somos tão frágeis quando o assunto é amor? Por que algumas palavras doem mais que uma sessão de tortura? Eu não entendo por a vida -e a dor- giram em torno do amor. Com tantas coisas difíceis na vida, aquela que mais nos derrota é justo o amor. Algo que não é tão simples de resolver. E não vem nem com manual de instruções. Algumas palavras ficam entaladas em nossa garganta querendo sair, não a galinha do almoço, não o chiclete, mas as palavras. Palavras nas quais você escutou, ou que você formulou e elas querem sair. É incrível o jeito que o amor muda as pessoas, é incrível como ele nos faz querer gritar o nome de alguém para todo mundo ouvir, mas normalmente, a timidez vence e você até tenta gritar, mas não consegue. Nosso coração se quebra muito fácil. Um coração de vidro. E quando todos os caquinhos estão ao chão, agente tenta colar tudo, mas ele nunca voltara a ser como era antes. Não se não for super bem esquentado com fogo. As vezes, ficamos até com medo de quebra-lo. O amor faz nos ficarmos sozinhas e solitárias mesmo com muitas pessoas em volta, mesmo com amigos e pessoas queridas. Faz você querer fugir, faz você procurar um canto para se esconder, faz você tentar viver de lembranças, e faz seu coração passar fome ; faz você delirar. Por que não são as provas, o irmão chato, os pais... qualquer coisa, mas tem que ser justo o amor? Poderíamos ser fracas em outra coisa, mas não. Foi justo o coração escolhido para ser seu ponto fraco.

Beijos D.

Nenhum comentário:

Postar um comentário